Os melhores KPI's de recursos humanos que a sua empresa pode ter

Os melhores KPI’s de recursos humanos que a sua empresa pode ter

Posted Leave a commentPosted in Definição de métricas de negócio

Sem as pessoas as empresas não são nada, e o público interno é um dos mais importantes nas organizações, uma vez que é este que faz as empresas crescerem e evoluírem. People Analytics é o processo de recolha, organização e análise de dados sobre o comportamento dos colaboradores, com o intuito de contribuir para as decisões tomadas na empresa, antecipando tendências e ajustando estratégias. Este termo é cada vez mais importante para as empresas e prevê-se que nos próximos tempos ganhe uma importância crescent, o que significa que cada vez mais existem dados sobre os colaboradores e existe uma necessidade de fazer algo de útil com esses dados. Os KPI’s ajudam-nos a trabalhar a informação e a obter insights importantes para a tomada de decisão. No artigo de hoje, apresentamos os melhores KPI’s de recursos humanos que a sua empresa pode ter!

Índice de rotatividade

Indica a quantidade de colaboradores que saem e que entram na empresa, durante um determinado período. Para a empresa, é melhor que este índice seja o mais baixo possível, pois significa que há retenção de talento. Um índice elevado pode indicar uma baixa atratividade da empresa em relação à concorrência.

Absentismo

O absentismo mede as taxas de ausência dos colaboradores e indica os reais motivos das faltas ou atrasos. O absentismo pode estar ligado a más condições de trabalho, como a ergonomia na empresa ou mau ambiente na equipa.

Custos de rotatividade

Para calcular este indicador é preciso inserir todas as despesas de pagamento das rescisões contratuais e somar todos os custos legais e processuais. Também é preciso acrescentar os gastos com a reposição do profissional que foi embora, além do investimento em formação.

Relação horas extras e horas trabalhadas

Este indicador está ligado ao conceito de produtividade e demonstra a relação entre a quantidade de horas extras (pagas ou utilizadas para o banco de horas) e as horas trabalhadas. É um indicador importante para analisar a sobrecarga, capacidade operacional e alocação de mão de obra.

Índice de satisfação dos colaboradores

Este índice é calculado mediante a recolha de opiniões por parte dos colaboradores, que podem responder a inquéritos onde revelem o seu grau de satisfação numa escala numérica. Quando mais alto for este nível, melhor será a atuação da área de recursos humanos e maior é a motivação dos colaboradores para trabalhar.

Custo médio por colaborador

Este indicador mostra-nos quanto nos custa, em média, cada colaborador da empresa. É obtido após somar todas as despesas com o pessoal (salário, subsídio de alimentação, subsídios de férias e de Natal, contribuições para o Estado, entre outras despesas) e dividir pelo número total de colaboradores da empresa.

 

Gestão de TI: 4 indicadores imprescindíveis na sua empresa

Gestão de TI: 4 indicadores imprescindíveis na sua empresa

Posted Leave a commentPosted in Definição de métricas de negócio

Ter KPI’s definidos é essencial para o bom desempenho de uma empresa. Os KPI’s são os indicadores-chave de desempenho que nos indicam em que estado o negócio se encontra e quão longe (ou perto) estamos de cumprir os objetivos estabelecidos. Com base nos indicadores e no desempenho da empresa, os gestores podem tomar decisões mais assertivas e mais informadas. A área de TI é uma das mais importantes em qualquer negócio, pois suporta toda a atividade da empresa. No artigo de hoje, abordamos 4 indicadores de TI imprescindíveis na sua empresa!

Desempenho das aplicações

Esta é uma das métricas de TI mais importantes, sendo para o efeito necessário fazer uso de ferramentas de monitorização constante que avaliam o desempenho das aplicações na ótica do utilizador final. Cada vez mais as empresas confiam a gestão dos seus ativos informáticos a empresas especializadas que garantem segurança, alto desempenho e disponibilidade permanente.

Tempo médio offline

Este KPI é usado para analisar o tempo médio que um dispositivo de TI ou infra-estrutura não esteve disponível É uma métrica conhecida por MDT (mean down time). Essa métrica indica-nos todo o tempo que o serviço não esteve disponível, seja por causa de problemas leves, avarias, entre outros. Este valor é obtido através da soma do tempo que o sistema não estava disponível para dividir pelo número de ocorrências nesse período.

Tempo médio de atendimento

Outra métrica muito importante é o tempo médio que os profissionais demoram a responder aos pedidos colocados no service desk. Quanto mais rápido for o atendimento e a resolução da situação, melhor será o desempenho de TI.

Índice de uptime

Esta é uma das métricas de TI mais importantes. Indica-nos o tempo em que as aplicações informáticas estiveram disponíveis para os utilizadores pelo que quanto maior for, melhor é o desempenho da estrutura de TI. É essencial que as infraestruturas tecnológicas da empresa estejam sempre disponíveis para que as taxas de produtividade se mantenham constantes.

 

As ferramentas BAM como o Multipeers permitem acompanhar os KPI’s de forma contínua e em tempo real. Analisar o desempenho de forma constante garante que se dedique uma maior atenção ao cumprimento dos objetivos, aumentando efetivamente o grau de atingimento dos mesmos. O acompanhamento contínuo do desempenho assume um papel de grande relevância no planeamento e posterior controlo, pois fornece informações sobre processos desenvolvidos pela organização. A eficácia de qualquer estratégia de controlo depende em grande medida da correta adequação das métricas de desempenho desenvolvidas e dos KPI’s.

KPI's de vendas que todos os negócios precisam

KPI’s de vendas que todos os negócios precisam

Posted Leave a commentPosted in Definição de métricas de negócio

Ter KPI’s definidos é essencial para o bom desempenho de uma empresa. Os KPI’s são os indicadores-chave de desempenho que nos indicam em que estado o negócio se encontra e quão longe (ou perto) estamos de cumprir os objetivos estabelecidos. Com base nos indicadores e no desempenho da empresa, os gestores podem tomar decisões mais assertivas e mais informadas. A área de vendas é uma das mais importantes em qualquer negócio, pois é através das vendas que as empresas conseguem gerar riqueza para manter o negócio em funcionamento. Cada negócio tem as suas especificidades, mas existem KPI’s transversais a todas as áreas. No artigo de hoje, vamos abordar os KPI’s de vendas que todos os negócios precisam!

Velocidade da venda

Medir a velocidade com que uma venda é efetuada é uma estratégia importante para avaliar o desempenho da empresa na atração do cliente e na resposta às suas expetativas. Quanto menor for o ciclo de venda, maior será a eficácia. Assim, é essencial investir em ações que despertem o interesse do cliente e em estratégias que acelerem a compra.

Valor médio da venda

Este indicador é o resultado da divisão da receita gerada por um vendedor pelo número de vendas realizadas pelo mesmo num determinado período. Este indicador é importante porque permite estabelecer um perfil para os membros de uma equipa e permite adaptar as pessoas de acordo com as suas características.

Taxa de Churn

A taxa de Churn indica a percentagem de abandono do produto ou serviço, ou seja, significa o número de clientes que desistiram de continuar com a sua empresa. Quanto maior for a taxa de churn (“churn rate”), menores serão as chances da empresa crescer, já que os novos clientes servirão apenas para substituir os clientes antigos e não para gerar nova riqueza.

Número de negócios fechados

É importante conhecer a quantidade de negócios fechados num determinado período para a criação de objetivos realistas. Um bom exemplo da aplicabilidade deste indicador é comparar 2 vendedores e verificar o número de negócios fechados e o ticket médio. Há vendedores que preferem trabalhar melhor o lead, gastando mais tempo com ele, e isso pode gerar um retorno maior por parte desse cliente. Este é um dos KPI’s de vendas mais importantes.

Índice de recomendação de clientes

Indicador que nos mostra a percentagem de clientes atuais que chegou até à empresa devido a recomendação de um outro cliente mais antigo. Para medi-lo, basta perguntar ao novo cliente como ele conheceu a empresa no momento da venda. A melhor publicidade de uma empresa será sempre a que é feita “boca a boca”, por isso, se esta taxa for muito baixa é preciso investir nesta área para aumentar a satisfação dos clientes atuais.

Taxa de follow up

Poucas vendas são feitas no primeiro contato com o possível cliente. É preciso manter contacto com ele algumas vezes. Este indicador visa responder à questão: quantos contactos são necessários para concretizar uma venda? Neste indicador também é importante saber quantos clientes fecham negócio nos primeiros três contatos. As respostas a estas questões vão ajudar a definir uma nova estratégia de follow up, caso haja necessidade disso.

Definir indicadores de negócio de modo consciente é fundamental para se conseguir analisar o negócio objetivamente. É essencial que os indicadores analisados mostrem aos gestores o caminho a seguir, de modo a corrigirem-se erros e a aplicarem-se novas estratégias. O Multipeers propõe-lhe um conjunto de 50 KPIs essenciais para uma gestão 360º do seu negócio. Faça download do nosso e-book!

7 indicadores para avaliar a saúde financeira do seu negócio

7 indicadores para avaliar a saúde financeira do seu negócio

Posted Leave a commentPosted in Definição de métricas de negócio

Já aqui falamos sobre a importância dos indicadores para o sucesso do negócio, mas nunca é demais relembrar que ter KPI’s definidos é parte fundamental da estratégia de gestão de uma empresa. Estas métricas de negócio permitem um acompanhamento mais próximo e uma melhor gestão do nível de sucesso das ações desempenhadas. Existem milhares de indicadores possíveis para cada negócio e é muito importante saber que indicadores escolher para acompanhar sempre a saúde financeira do negócio. No artigo de hoje, apresentamos os 7 indicadores mais importantes para avaliar a saúde financeira do seu negócio!

Lucro Líquido

É um dos valores mais importantes para qualquer empresa. Chegamos a este valor depois de somar todo o volume de faturação e deduzir os custos e as despesas.

Liquidez

A liquidez é a capacidade de transformar um ativo em dinheiro. Quanto mais rápida for essa a conversão, mais liquido um ativo é. Este indicador avalia a capacidade que a empresa tem para pagar a colaboradores e fornecedores.

EBITDA

EBITDA significa Earning Before Interest, Taxes Depreciation and Amortization e é uma forma de calcular quanto uma empresa gera de recursos apenas com a sua operação, ou seja, antes de subtrair o valor dos impostos. A fórmula para alcançar o EBITDA é Lucro Operacional Líquido + Depreciação + Amortização. Este é um valor muito importante para as empresas que procuram investidores e serve como ponto comparativo com outras empresas do mesmo setor.

Custo por lead

Este valor mostra-nos quanto custa à empresa adquirir um lead. Obtemos o valor após dividir a quantidade de dinheiro investida no marketing digital pelo número de leads gerados. Estudos referem que o custo por lead gerado através do marketing digital é cerca de 61% mais baixo do que os leads gerados pelo marketing tradicional. Saber quanto nos custa gerar um lead é essencial para que possamos redistribuir os investimentos e melhorar os resultados.

ROI

ROI significa return on investment e mede o resultado final de um investimento: relaciona todas as despesas envolvidas numa ação com os lucros obtidos graças a essa mesma ação. A fórmula para o cálculo do ROI é a seguinte: ROI = Lucro Líquido (Lucro total do Investimento – Custo do total Investimento) / Custo do Investimento. Se o ROI for superior a zero, significa que o investimento foi positivo para a empresa. Se tiver valores negativos, houve prejuízo.

Margem de Lucro Líquida

A margem de lucro representa o que a empresa planeia lucrar como retorno do que foi investido. Além de fazer o cálculo do lucro líquido para obter a margem de lucro líquida, as empresas devem estipular um valor que esteja de acordo com aquilo que o mercado está disposto a pagar pelo seu produto. Se a expetativa dos lucros estiverem muito acima do normal pode haver problemas relativamente a planeamentos futuros.

Market Share

O market share significa a participação de uma empresa no mercado em que se encontra. Este valor pode ser encontrado através de medição de faturação, quantidade de clientes, entre outros.

 

Os KPI’s têm uma importância vital para as empresas pois medem o desempenho dos processos e com a análise da informação recolhida trabalham no sentido de melhorar as ações futuras.

As melhores práticas para a definição de KPI's

As melhores práticas para a definição de KPI’s

Posted Leave a commentPosted in Definição de métricas de negócio

Ter KPI’s definidos é essencial para o bom desempenho de uma empresa. Os KPI’s são os indicadores-chave de desempenho que nos indicam em que estado o negócio se encontra e quão longe (ou perto) estamos de cumprir os objetivos estabelecidos. Com base nos indicadores e no desempenho da empresa, os gestores podem tomar decisões mais assertivas e informadas. Contudo, os KPI’s só se revelam úteis se forem definidos da forma correta. No artigo de hoje, vamos abordar as melhores práticas para a definição de KPI’s.

Defina indicadores mensuráveis

Para que um indicador seja bem definido é necessário que seja possível medi-lo facilmente, ou seja, deve optar sempre por indicadores quantitativos e não qualitativos. No caso dos indicadores qualitativos, existe uma grande probabilidade de haver uma avaliação subjetiva. Por exemplo, em vez de ter como objetivo melhorar as vendas, estabeleça um indicador sobre a taxa de conversão em vendas.

Não complique

Os KPI’s devem ser simples, para que toda a equipa seja capaz de compreendê-los. Se complicar muito um KPI corre o risco de não conseguir extrair qualquer informação útil da sua análise. E se os colaboradores não entenderem o indicador podem ficar desmotivados, o que prejudica todo o desempenho da empresa.

Defina indicadores adequados à realidade do negócio

Nem todos os indicadores servem para todas as empresas. Há indicadores que se adequam a um tipo de negócio, mas que não fazem qualquer sentido noutras áreas de atividade. Definir indicadores apenas por definir vai criar ruído prejudicial à performance dos colaboradores e isso terá um impacto negativo nos resultados finais da empresa.

Avalie os KPI’s com frequência

Um KPI deve ser analisado com frequência pois só com um acompanhamento constante é que é possível entender se estamos a caminhar na direção certa ou não. Deve optar sempre por indicadores que podem ser medidos facilmente e de forma frequente, para que possa tomar decisões no dia-a-dia com base em informação fiável e atualizada.

Torne os indicadores dinâmicos

Um indicador que ontem era bastante importante, hoje pode ter perdido parte da sua importância. As empresas são organismos vivos e dinâmicos e como tal as mudanças devem ser acompanhadas em todas as áreas da empresa. Avalie pelo menos a cada três meses se os indicadores que tem “ativos” são os mais adequados tendo em conta o período que a empresa atravessa.

Definir indicadores de desempenho é essencial para que consiga obter sucesso no seu negócio. Trabalhar sem saber para que lado o negócio está a ir é o primeiro passo para o fracasso. É fundamental que tenha a consciência de que definir indicadores é um trabalho que merece a sua atenção e dedicação, pois só desta forma conseguirá envolver toda a equipa de trabalho na prossecução dos objetivos empresariais globais!

Entenda a relação entre dashboard e tomada de decisões

Entenda a relação entre dashboard e tomada de decisões

Posted Leave a commentPosted in Definição de métricas de negócio

Tomar as decisões certas para o negócio não é uma tarefa fácil e as decisões que os gestores tomam podem influenciar de modo irreversível o rumo de uma empresa. Para que consigam tomar as decisões mais acertadas, os gestores precisam de ter ao seu dispor as melhores ferramentas possíveis, para que possam basear as suas opções em dados concretos, objetivos e realistas. O dashboard é uma das ferramentas mais importantes atualmente, pois permite que os gestores estejam sempre atualizados sobre tudo o que se passa no negócio. Neste artigo, vamos abordar a relação entre dashboards e tomada de decisões!

Mas afinal, o que é um dashboard?

Um dashboard é um painel de controlo que apresenta de forma visual as informações mais importantes sobre o negócio. No caso de utilizar uma ferramenta como o Multipeers, a informação é atualizada permanente e automaticamente, de modo a que tenha ao seu dispor as informações mais atuais sobre tudo aquilo que se passa na empresa.

Como o dashboard ajuda na tomada de decisões

  • Agrupa as informações oriundas de todas as fontes da empresa

Neste campo, é preciso ter cuidado para não ter um dashboard demasiado “cheio”, ou seja, com informação que não é relevante para a sua tomada de decisão. Isso só vai criar ruído visual e complicar a sua análise. Deve criar um dashboard de fácil leitura e apenas com os dados que realmente importam para si.

  • Avaliação constante do negócio

Uma das principais vantagens do uso de dashboards relaciona-se com o facto de poder analisar constantemente o presente e o passado do seu negócio. Com um dashboard, é muito fácil analisar o histórico da empresa e encontrar padrões de comportamento do passado que irão ajudar a tomar decisões no presente que não comprometem o futuro!

  • Objetivos de negócio sempre presentes

Ao utilizar um dashboard, consegue facilmente perceber se os seus objetivos de negócio estão a ser cumpridos. Relacionar os KPI’s com as atividades do dia-a-dia é essencial para que os objetivos individuais e globais sejam alcançados de forma mais simples.

  • Identificar desvios rapidamente

Os gestores nem sempre conseguem identificar desvios nas rotinas de trabalho em tempo útil, o que compromete a produtividade do negócio. O dashboard vai juntar o histórico das operações da empresa e pode definir padrões para detetar desvios e anomalias em tempo real. Assim, o sistema é capaz de perceber que algo não está bem e de alertá-lo de imediato para que possa agir antes de se tornar um problema sério.

Como a Análise de Dados Contribui para o Trabalho Administrativo da sua Organização

Como a Análise de Dados Contribui para o Trabalho Administrativo da sua Organização

Posted Leave a commentPosted in Definição de métricas de negócio

A análise de dados é um dos principais caminhos para tomar decisões assertivas na gestão de negócios. Trata-se de um processo que parte de constatações elementares para gerar informações agregadas e definir qual a melhor abordagem para corrigir falhas ou aprimorar resultados.

Esse ciclo é de grande valia para qualquer organização. Com o dinamismo do mercado atual, ele ajuda a reduzir a variabilidade e gerar maior clareza. Especialmente no que se refere ao trabalho administrativo, isso produz grande valor, uma vez que eleva a objetividade gerencial.

Com base nisso, vejamos os reflexos práticos que a análise de dados pode ter no dia a dia do seu negócio, trazendo maior produtividade e lucratividade.

De Dados a Decisões

Dados não possuem valor intrínseco. Eles representam apenas medições que refletem etapas críticas de processos. Assim, enquanto atividades são executadas, elas geram interações que são acumuladas para começarem a fazer sentido.

A partir daí você começa a gerar informações. Essas informações produzem uma série de sugestões sobre o funcionamento de sua cadeia produtiva. Elas geram uma “foto” da operação. De posse disso, você produz conhecimento e começa a ter um embasamento consistente para tomar decisões.

Esse é o grande objetivo. Você deve ser capaz de estabelecer métricas consistentes, pontos de controle adequados e fazer com que eles produzam imagens fidedignas de sua empresa. Assim, você conduzirá suas atividades de maneira lógica e objetiva.

Processando Seus Dados

Uma das etapas mais importantes na utilização dos dados está no processamento. É necessário fazer a transição até que se chegue em informações de valor. Para tanto, o ideal é estruturar indicadores, gráficos e dashboards que ofereçam uma visão concisa dos resultados.

Esse trabalho pode ser extremamente desafiador. Além da complexidade inerente ao processo de transmissão dos dados, ainda existe o desafio da compilação. Uma grande aliada nesse processo é a tecnologia da informação. Ela ajuda a automatizar grande parte das etapas e eleva a confiabilidade.

Um exemplo de recurso ideal nessas situações é o sistema de gestão ERP, que permite desde o controle de vendas até a completa gestão financeira. Trata-se de um software especialmente projeto para realizar a integração empresarial. Como as métricas são um elemento importante para tanto, a ferramenta possui inúmeros recursos para suportar o processamento de dados.

Assim, você será capaz de chegar até decisões consistentes de maneira ágil e estruturada, em cada um dos seus processos administrativos: sistema de gestão financeira, gestão das vendas, software para controle de estoque, para citar alguns dos principais.

Gerindo com Confiança

Uma das questões centrais da análise de dados está na objetividade adquirida. Nos processos administrativos é muito comum encontrarmos organizações onde impera o feeling dos gestores. Assim, a experiência e o desempenho individual muitas vezes sobrepujam o senso crítico, baseado em informações confiáveis.

Apesar da grande importância do conhecimento acumulado ao longo do tempo, ele não é suficientemente objetivo para que substitua o poder dos dados. Eles emitem uma imagem consistente do seu negócio, que ajuda a ver os erros, os acertos e todos os aspectos essenciais à gestão.

Assim, experiência e análise de dados se complementam, formando uma dupla poderosa no suporte à sua organização.

A Análise de Dados e a Gestão no Século XXI

Novos cenários demandam novas formas de agir. A gestão de negócios sofreu profundas modificações nos últimos anos. Com todo dinamismo do mercado e novos desafios para os gestores, especialmente ligados à tecnologia e globalização, tornou-se essencial o conhecimento objetivo das empresas.

Não se tem mais tempo para tentativa e erro ou para achismos. É preciso conduzir a organização de acordo com a realidade dos fatos e isso é feito por meio dos dados.

À medida que eles se transformam em informações, torna-se mais simples e direto tomar decisões coerentes. A complexidade das situações se reduz e cria-se um embasamento para chegar a resultados melhores. Esse é o grande poder da análise de dados.

Como dito anteriormente, o ideal é aplicar a tecnologia na condução desse processo. Por meio de sistemas de gestão você será capaz de integrar seus setores e agilizar as etapas desde a coleta até o resultado final, contando com ótimas formas de distribuir as informações, mantendo-as salvas e protegidas.

Confie nos dados e eles entregaram valor real para o seu negócio.

Um artigo by GestãoClick
As métricas de TI mais importantes para o seu negócio

As métricas de TI mais importantes para o seu negócio

Posted Leave a commentPosted in Definição de métricas de negócio

OS KPI’s são utilizados para facilitar a identificação de problemas e para perceber em que estado do cumprimento dos objetivos a empresa se encontra. Quando são bem utilizados, têm um grande impacto nos resultados do negócio. Na área de TI é muito importante utilizar métricas adequadas, para que os gestores desta área consigam melhorar o desempenho das infraestruturas que suportam a organização. No artigo de hoje, vamos abordar as métricas de TI mais importantes para o seu negócio.

Índice de uptime

Esta é uma das métricas de TI mais importantes. O índice de uptime é o índice as aplicações tecnológicas e este valor quanto maior for, melhor é o desempenho da estrutura de TI. É essencial que as infraestruturas tecnológicas da empresa estejam sempre disponíveis para que as taxas de produtividade se mantenham constantes. É unânime que o uptime ideal deve ser de 99% e para isso é necessário que a equipa de TI trabalhe com métodos de alto desempenho para garantir disponibilidade constante.

Tempo médio de espera no service desk

Outra métrica muito importante é o tempo médio que os profissionais demoram a responder aos pedidos colocados no service desk. Quanto mais rápido for o atendimento e a resolução da situação, melhor será o desempenho de TI.

Desempenho dos servidores

Os servidores são elementos importantíssimos para uma empresa, pois é nele que ficam centralizados todos os recursos necessários para que toda a estrutura esteja em funcionamento. Esta é uma das métricas de TI mais importantes. É necessário usar métodos de gestão de servidores e utilizar formas de monitorização constante. Cada vez mais as empresas confiam a gestão dos seus servidores a empresas especializadas que garantem segurança, alto desempenho e disponibilidade permanente.

ROI

O retorno sobre o investimento é uma métrica importante em qualquer área e quanto mais a área de TI cresce dentro de uma empresa, mais importante se torna avaliar o retorno sobre o investimento. É, por vezes, muito difícil mostrar a rentabilidade de um investimento feito na área de tecnologia e é por isso que a automatização dos processos tem vindo a ganhar mais espaço dentro das organizações. Quanto mais automatizada a área de TI estiver, mais fácil será provar que se consegue antecipar problemas e evitar falhas de sistema.

Tempo médio “offline”

Este KPI serve para analisar o tempo médio que um dispositivo ou infraestrutura de TI esteve indisponível. É uma métrica conhecida por MDT (mean down time). Esta métrica faz a média de todo o tempo que o serviço esteve indisponível, seja por que motivo for: problemas de luz, avarias, entre outros. Este valor obtém-se através da soma do tempo em que o sistema esteve indisponível a dividir pelo número de ocorrências nesse período.

BI e BAM: entenda a diferença entre estes dois conceitos

BI e BAM: entenda a diferença entre estes dois conceitos

Posted Leave a commentPosted in Definição de métricas de negócio

BI e BAM são termos que se encontram muito presentes numa grande parte das empresas. Não são necessariamente termos independentes, mas também não se exige que as duas ferramentas funcionem em simultâneo numa mesma empresa: cada uma delas é independente. Existem ainda muitas dúvidas relativamente à diferença entre estes dois termos e no artigo de hoje vamos falar sobre as principais diferenças entre BI e BAM.

O que é um sistema BAM?

BAM significa Business Activity Monitoring e é uma ferramenta que define o processo e tecnologias para conseguir colocar num dashboard informação sobre os KPI’s da empresa em tempo real. O que o BAM faz é apenas mostrar num só local toda a informação oriunda das mais variadas fontes de dados da empresa, eliminando a necessidade de consultar diversas bases de dados e afins para se saber o que se passa na empresa naquele dado momento.

O que é Business Intelligence?

O BI é uma técnica que ajuda os gestores a planear a estratégia da empresa através da recolha e análise de um grande volume de dados, para entender o desempenho da empresa e a partir daí decidir mais conscientemente sobre o futuro.

Relação e diferenças entre BI e BAM

As ferramentas de monitorização de negócio facilitam o processo de extrair informações e de tomar decisões operacionais conscientes e ponderadas. Ambas as ferramentas utilizam a informação com o objetivo de melhorar o desempenho. A análise de dados que as ferramentas BAM proporcionam é muito eficiente pois apresenta a informação de um modo simples e conciso, permitindo que o gestor rapidamente fique informado sobre o estado real e atual do negócio.

Ao contrário do Business Intelligence, os sistemas BAM não falam sobre passado ou futuro: focam-se apenas no presente. O sistema BAM vai integrar todas as informações da empresa num só lugar para que os dados possam ser consultados a qualquer momento e em qualquer lugar. O BI vai acrescentar uma cultura analítica em todos os setores da empresa, para que todos tenham conhecimento sobre o estado do negócio. As informações atualizadas e analisadas em tempo real vão proporcionar melhorias em todos os setores da organização.

 

Estes dois conceitos funcionam muito bem se forem aplicados em conjunto na empresa, de modo a que possa compreender todas as informações do seu negócio de uma forma simples. A vida da sua empresa acontece agora e deve saber a cada instante o que se passa com o negócio. Do mesmo modo, deve dotar-se das ferramentas certas para que possa tomar as decisões mais adequadas para o futuro!

Tudo o que precisa de saber sobre o ROI

Tudo o que precisa de saber sobre o ROI

Posted Leave a commentPosted in Definição de métricas de negócio

Todas as empresas têm como objetivo a obtenção de lucro e a redução das despesas. Ao longo de um ano de trabalho, são feitos diversos investimentos com o intuito de obter ganhos financeiros. Contudo, na hora de investir em alguma ação não temos a certeza se iremos obter o retorno desejado, pelo que existe sempre um risco associado a todas as decisões tomadas. O ROI – retorno sobre o investimento – é um conceito muito importante para as empresas e no artigo de hoje iremos abordar tudo o que precisa de saber sobre ROI!

O que é o ROI?

ROI é o acrónimo em inglês para return on investment (retorno sobre o investimento). Este valor representa o lucro obtido após um determinado investimento e é comumente utilizado na avaliação de investimentos operacionais, como aquisição de equipamentos, material informático, participação em eventos e ações de marketing.

Como calcular o ROI?

A fórmula do cálculo do ROI é muito simples:

ROI = ((Receita – Custos) / Custos) * 100

No cálculo de um retorno sobre o investimento devem estar contemplados apenas os custos e proveitos relacionados com o investimento e não os resultados globais da empresa. O seguinte exemplo mostra-nos como se aplica o ROI na prática: uma empresa vai participar num evento de marketing que tem o custo de 10000 €. Durante o evento, vão gerar leads que se tornarão clientes e nos próximos 5 anos esses clientes darão um lucro de 20 000 € à empresa. O retorno neste caso é de 100%.

Vantagens de calcular o ROI

Uma das principais vantagens deste cálculo é a diminuição das despesas e o aumento do lucro. É essencial que se calcule o retorno sobre todas as ações efetuadas, pois só assim os gestores conseguem perceber que ações resultam e quais aquelas que não acrescentam valor para a empresa. Assim, a empresa será capaz de eliminar os investimentos que geram apenas despesa. Contudo, é preciso ter em conta que alguns investimentos geram lucro apenas após um período considerável de tempo. O gestor deve avaliar todas as repercussões do investimento não só no imediato, mas também a longo prazo.

O cálculo do ROI permite melhorar de forma constante, pois a empresa consegue acompanhar a evolução dos investimentos, identificando padrões e permitindo melhorar a sua atuação. Mais do que identificar a importância de cada investimento, o cálculo do ROI contribui também para uma evolução positiva do negócio.

O cálculo deste valor permite que os gestores tomem decisões mais rapidamente, visto que acompanham frequentemente o estado da empresa e dos seus investimentos. Desta forma, na hora de optar por um determinado investimento, vão conhecer o histórico das ações passadas e sentir-se-ão mais seguros para decidir.

É cada vez mais importante acompanhar o estado da empresa em tempo real, pois os mercados são cada vez mais competitivos. O Multipeers é uma ferramenta BAM que lhe permite acompanhar ao segundo tudo aquilo que se passa no seu negócio, através da conexão aos sistemas de informação que utiliza. Através de um dashboard simples e intuitivo, será capaz de perceber instantaneamente tudo aquilo que está a acontecer, para que possa tomar as melhores decisões para o futuro do seu negócio!