5 Motivos para investir num ERP

5 Motivos para investir num ERP

Posted 3 CommentsPosted in Dicas de Gestão

ERP significa Entreprise Resource Planning, ou seja, Planeamento dos Recursos Corporativos. Surgiu no final dos anos 50, época em que se começou a aliar a gestão à tecnologia. Inicialmente, o seu objetivo era otimizar o tempo que se gastava em tarefas manuais, mas hoje este recurso é capaz de integrar todas as informações e processos de uma organização num só local. A missão desta ferramenta é agrupar todos os departamentos da empresa, proporcionando uma melhor comunicação, através de um fluxo de informação contínuo. Este fator revela-se de grande utilidade pois os processos de uma empresa dependem uns dos outros e uma falha de comunicação ou perda de transmissão dos dados pode significar grandes perdas de produtividade e de lucro. No artigo de hoje, apresentamos 5 motivos para investir num ERP!

Controlo geral do negócio

Este é o principal motivo pelo qual deve investir num ERP. A centralização da informação é cada vez mais importante, pois permite um maior controlo sobre os dados e uma tomada de decisão mais eficiente. Os processos tornam-se mais simples e conseguem reduzir-se os custos com formação de utilizadores e infraestruturas. Saber o que se passa no seu negócio é fundamental para tomar as decisões certas e, no dia-a-dia agitado de um gestor, a informação agrupada torna-se uma mais-valia.

Gestão mais eficiente dos Clientes

A informação no ERP sobre os clientes e potenciais clientes da empresa pode ser uma grande vantagem competitiva para as empresas que pretendem adaptar-se a mudanças mais rapidamente. Os sistemas de monitorização permitem obter dados imediatos sobre as ações dos clientes e interações com a empresa, bem como informação sobre o seu histórico de compras. Isto permite que a comunicação com o cliente se torne mais personalizada e objetiva.

Torna os processos empresariais mais ágeis

Como os programas de gestão apresentam a informação de forma condensada e já pronta para análise, a necessidade de fazer relatórios extensos vai desaparecer. Desse modo, os colaboradores que antes tinham essa responsabilidade vão ficar com mais tempo disponível para outras tarefas, o que certamente contribuirá para um aumento de produtividade. A análise em tempo real em conjunto com o ERP elimina as tarefas mais burocráticas, o que torna a empresa mais ágil.

Diminuição da probabilidade de errar

O uso de um ERP reduz as falhas de comunicação e acelera a consolidação dos dados. Toda a informação da empresa vai estar apenas num local, o que torna os processos de análise mais ágeis e eficazes. Assim, a probabilidade de haver falhas de comunicação torna-se bastante reduzida, o que contribui para uma tomada de decisão mais assertiva.

Grande mobilidade

Atualmente, quase todos os ERP apresentam a possibilidade de serem utilizados em dispositivos móveis. Assim sendo, é possível estar numa reunião ou numa viagem e ter informação real e atualizada sobre o estado do negócio. Esta é uma vantagem muito importante, pois cada vez mais o seu negócio é no local em que se encontra, pelo que é fundamental que tenha sempre acesso à informação mais atual sobre a sua empresa!

 

Analisar os dados em tempo real é cada vez mais uma realidade nas empresas em todo o Mundo. Os negócios acontecem a um ritmo muito acelerado e é essencial que saiba o que está a acontecer na sua empresa para conseguir tomar as decisões mais adequadas para o seu negócio. Faça download do nosso e-book e saiba como uma ferramenta BAM o pode ajudar a gerir!

 

 

Como é que a sua empresa pode usar o big data para ser mais competitiva?

Como é que a sua empresa pode usar o big data para ser mais competitiva?

Posted Leave a commentPosted in Dicas de Gestão

Dados, dados e mais dados: é assim a vida de um gestor atualmente. A cada dia que passa, produzimos mais informação e torna-se cada vez mais difícil lidar com tantos dados. Se as empresas não conseguirem extrair informação fidedigna dos dados que geram diariamente, eles perdem o seu propósito. Só com informação correta e atualizada é que as empresas serão capazes de tomar as decisões mais acertadas para o futuro do negócio. Neste artigo, vamos perceber como é que a sua empresa pode usar o big data para ser mais competitiva!

Analisar o negócio em tempo real para a obtenção de insights em tempo útil

informação cresce a um ritmo muito acelerado, o que torna cada vez mais difícil a sua análise. A solução indicada é analisar os dados em tempo real para tirar o máximo partido da informação. Produtos como o Multipeers permitem analisar a cada segundo o que se está a passar com o negócio. Desta forma, é possível tirar o máximo partido dos dados para tomar as melhores decisões para o negócio. Aliar a grande quantidade de dados gerada nas empresas a uma análise em tempo real permite obter insights essenciais para o sucesso dos negócios.

Melhor recolha dos dados

Os dados surgem dos mais diversos canais e através do Big Data é possível centraliza-los e agrupá-los por afinidades. É possível estar mais perto do cliente através da recolha de dados por meio de questionários, aplicações, cartões de fidelidade, entre outros instrumentos. Os dados recolhidos são essenciais para que se possa fazer um planeamento assertivo das ações de marketing e comunicação.

Utilize o grande volume de dados na gestão de RH

Muitas empresas enfrentam o desafio de verem as suas equipas mudar várias vezes num curto período de tempo. Sem perceberem porquê, não são capazes de reter os melhores talentos, o que faz com que exista pouca estabilidade. Através da análise dos dados, é possível conhecer melhor cada colaborador e contribuir para que ele se sinta bem no local de trabalho, evitando assim a sua saída. É importante conhecer as motivações, desejos a longo prazo e opiniões dos colaboradores, pois só assim os cargos de gestão conseguirão criar um ambiente agradável e onde cada colaborador se sinta bem. O Big Data na gestão de recursos humanos é um fator essencial para encontrar as pessoas certas para as funções certas. Por exemplo, através do Big Data é possível descobrir se as pessoas que têm uma experiência de trabalho interessante são ou não mais propensas a ficar na empresa por longos períodos de tempo ou se a duração das experiências anteriores tem impacto no desempenho da atual função. Com base nestes resultados, a empresa pode concentrar-se em fatores mais relevantes no momento de recrutar.

 

Tipos de análise de Big Data que irão beneficiar o seu negócio

Análise descritiva

Este tipo de Data Analytics responde à questão “o que está a acontecer agora?”. Através da resposta, as empresas podem analisar os dados sobre perdas de clientes, valores de vendas de um determinado produto e resultado de campanhas lançadas. A análise descritiva permite que se tomem decisões imediatas com um elevado nível de segurança, visto que a análise é feita com base em dados concretos e atuais. A informação proveniente deste tipo de análise é por norma exibida em gráficos e tabelas, o que permite que o gestor tenha uma visão global dos processos monitorizados.

Análise preditiva

A análise preditiva é uma forma avançada de Data Analytics que tem como objetivo responder à questão “o que vai acontecer?”. É um tipo de análise que faz previsões através de probabilidades. Esta análise é possível graças a técnicas como análise de regressão e progressão, correspondência de padrões e diversos tipos de estatística. Este tipo de Data Analytics é muito utilizado em empresas do mercado de ações e investimentos.

Análise diagnóstica

A análise diagnóstica vai explicar-nos porque é que determinada coisa aconteceu. Este tipo de análise vai relacionar todos dados e informações disponíveis, de modo a encontrar padrões de comportamento que possam explicar os resultados. É uma análise importante para encontrar problemas e sobretudo para evitar repeti-los no futuro.

Análise prescritiva

A análise prescritiva é a análise da adivinhação. Responde à pergunta “o que poderá acontecer se tomarmos esta medida?”. Este tipo de análise é muito importante sobretudo na área de vendas. Por exemplo, se pensarmos em dar 15% de desconto no próximo mês no produto menos vendido da empresa, a probabilidade de aumentarmos as vendas é de 40%. A análise prescritiva levanta hipóteses sobre possíveis resultados das ações tomadas pela empresa. É uma análise essencial para os gestores, pois ajuda-os a avaliar da melhor forma a escolha de determinada estratégia para resolver algum problema.

 

 

Como é que um dashboard pode ajudar a tomar decisões empresariais?

Como é que um dashboard pode ajudar a tomar decisões empresariais?

Posted Leave a commentPosted in Dicas de Gestão

Os dashboards têm uma importância cada vez maior nas empresas. No dia-a-dia empresarial agitado, os gestores necessitam de consultar diversas fontes de informação de modo a conseguirem obter todos os dados de que precisam para uma tomada de decisão consciente. Este é um processo que consome demasiado tempo e, não raras vezes, a informação encontra-se desorganizada, o que prejudica muito uma tomada de decisão rápida e eficaz. Assim sendo, o dashboard é hoje uma ferramenta fundamental para os negócios e no artigo de hoje vamos perceber como é que o dashboard pode ajudar a tomar decisões empresariais!

O que é um dashboard?

Um dashboard é um painel de controlo que apresenta de forma visual as informações mais importantes sobre o negócio. No caso de utilizar uma ferramenta como o Multipeers, a informação é atualizada permanente e automaticamente, de modo a que tenha ao seu dispor as informações mais atuais sobre tudo aquilo que se passa na empresa.

Conhecimento constante sobre os objetivos empresariais

Ao utilizar um dashboard, consegue facilmente perceber se os seus objetivos de negócio estão a ser cumpridos. Relacionar os KPI’s com as atividades do dia-a-dia é essencial para que os objetivos individuais e globais sejam alcançados de forma mais simples. Só com um conhecimento efetivo do que se passa na empresa e da evolução das áreas é que conseguirá tomar decisões certas para a boa continuação do seu negócio.

Avaliação permanente do negócio

Uma das principais vantagens do uso de dashboards relaciona-se com o facto de poder analisar constantemente o presente e o passado do seu negócio. Com um dashboard, é muito fácil analisar o histórico da empresa e encontrar padrões de comportamento do passado que irão ajudar a tomar decisões no presente que não comprometem o futuro!

Identificação de problemas em tempo útil

Os gestores nem sempre conseguem identificar desvios nas rotinas de trabalho em tempo útil, o que compromete a produtividade do negócio. O dashboard vai juntar o histórico das operações da empresa e pode definir padrões para detetar desvios e anomalias em tempo real. Assim, o sistema é capaz de perceber que algo não está bem e de alertá-lo de imediato para que possa agir antes de se tornar um problema sério.

Condensa todas as informações da empresa num só local

Neste campo, é preciso ter cuidado para não ter um dashboard demasiado “cheio”, ou seja, com informação que não é relevante para a sua tomada de decisão. Isso só vai criar ruído visual e complicar a sua análise. Deve criar um dashboard de fácil leitura e apenas com os dados que realmente importam para si.

Os gestores nem sempre conseguem identificar desvios nas rotinas de trabalho em tempo útil, o que compromete a produtividade do negócio. Os dashboards juntam o histórico das operações da empresa e pode definir padrões para detetar desvios e anomalias em tempo real. Assim, o Multipeers é capaz de perceber que algo não está bem e de alertá-lo de imediato para que possa agir antes de se tornar um problema sério!

 

Tecnologia em escritórios de contabilidade: o que tem mudado?

Tecnologia em escritórios de contabilidade: o que tem mudado?

Posted Leave a commentPosted in Dicas de Gestão

Você já parou para pensar em como era um escritório de contabilidade há uns 50 anos atrás? Certamente, não tem qualquer relação com a realidade atual. A tecnologia em escritórios de contabilidade mudou a forma como os contadores se relacionam e prestam serviço aos seus clientes. Você pode imaginar o vai e vem dos office boys entre o escritório do cliente e do contador, levando e trazendo documentos para lá e para cá? É bem verdade que já tinham inventado o aparelho de fax símile. Você colocava o documento do lado de cá e o seu interlocutor ficava aguardando do outro lado. Isso é o de menos, se pararmos para pensar em como eram feitas as escriturações, com preenchimento manual de livros fiscais, lançamentos contábeis e elaboração de demonstrativos. Para os contadores, era muito trabalho, exposição permanente a erros e demorados processos de conciliação. Sem contar com a velha máquina de escrever, que quando você errava dava uma trabalheira danada para corrigir. Fora a maquininha de somar, que você errava um número e já era. A soma dava errada, os números não batiam e tinha que começar tudo de novo. Como consequência, não se pode dizer que a produtividade de um escritório de contabilidade fosse algo exemplar, por maior que fosse a perícia do contador. O que havia de mais avançado era o sistema de planilhas chamado Lotus 123. Era o máximo de automação possível nos escritórios de contabilidade.

O salto da tecnologia

A partir da década de 90, principalmente, os softwares de gestão empresarial começaram a ganhar força no Brasil. As empresas de pequeno, médio e longo prazo receberam soluções em TI que permitiam uma visão ampla do negócio, por meio de relatórios gerenciais. O trâmite de papéis diminuiu, assim como a necessidade de recursos humanos envolvidos nos processos administrativos, permitindo que as empresas pudessem alocá-los em suas atividades fim.

As decisões se tornaram mais ágeis e até a vida dos contadores foi facilitada, já que a maioria desses softwares tinham módulos contábeis. Ao mesmo tempo, os escritórios de contabilidade ganharam ferramentas específicas para os registros e emissão de relatórios contábeis. Automação de um lado e de outro, o ganho de produtividade era natural.

A partir do início do século XXI as soluções tecnológicas passaram a evoluir em ritmo vertiginoso. Com a difusão da internet como ferramenta de negócios, a transmissão de dados ganhou uma nova dinâmica. Os Office boys estavam com os dias contados.

Atualmente, vivemos a era dos softwares em nuvem e da integração de sistemas. Agora, o desafio é integrar as diversas fontes de informações estratégicas, de softwares a feeds de notícia em uma única ferramenta. Já nos deparamos com soluções que permitem controlar fluxos financeiros diversos de forma centralizada.

A lógica está se invertendo. Agora não é mais o gestor que busca a informação, mas o contrário. Estamos na era da informação em tempo real. Competir não é mais só ter a melhor proposta de valor para os clientes. Agora é preciso ter agilidade para tomar decisões.

Tecnologia e escritórios de contabilidade competitivos

Se você é contador, já deve ter percebido que tecnologia e competitividade andam juntos. Um escritório de contabilidade compete com outros escritórios. Ainda que competir por preço não seja a melhor das estratégias, por vezes ela se torna inevitável. Afinal, os clientes querem o melhor serviço pelo menor custo. A boa notícia é que isso é plenamente possível. A partir do momento em que você tem maior produtividade, pode atender a mais clientes e, com isso, entregar preços competitivos.

Em se tratando de contabilidade, nos dias atuais, agilidade na prestação de serviços contábeis é uma forma de gerar valor para o cliente. Quanto aos preços, uma operação enxuta e ágil, aliada à produtividade, garante redução dos custos e a possibilidade de ser competitivo.

O que temos de mudança atualmente?

A nova mudança, que já nem é tão nova assim, no universo organizacional são os softwares online. A vantagem desse tipo de software é que ele permite integrar pessoas em lugares diferentes. Gestores, vendedores e pessoal administrativo podem compartilhar as mesmas informações estando ou não no escritório.

Graças às novas tecnologias de transmissão de dados é possível integrar softwares. A partir desse salto, o novo modelo de negócios envolvendo escritórios de contabilidade e seus clientes é o da integração total e transmissão remota. Por meio da integração contábil é possível que o contador tenha acesso e captura remota não só dos relatórios financeiros, mas também dos documentos fiscais.

A partir desse recurso, além da redução a quase zero do risco de erros, o trabalho do contador se tornou ainda mais ágil. Os dados do cliente são capturados e já absorvidos pelo software contábil. Com isso, temos um cenário em que os demonstrativos contábeis podem ser produzidos quase em tempo real. Isso significa, para os escritórios de contabilidade, mais produtividade, menos custos e mais clientes.

Um artigo by GestãoClick

As vantagens de automatizar a gestão logística

As vantagens de automatizar a gestão logística

Posted Leave a commentPosted in Dicas de Gestão

O setor logístico é um dos mais estratégicos numa empresa e é uma área que requer mais atenção e cuidados durante o dia-a-dia. Quando este setor não funciona corretamente, todo o processo produtivo de uma empresa poderá ser posto em causa. A automatização neste setor potencia resultados e traz diversos benefícios para as empresas. No artigo de hoje, apresentamos as principais vantagens de automatizar a gestão logística da sua empresa!

Controlo total dos processos

Automatizar a gestão da informação no setor logístico é garantir que existe uma grande organização a todos os níveis. Através de sistemas de monitorização em tempo real como o Multipeers, a empresa consegue saber a cada momento o que se passa ao longo da cadeia logística, podendo tomar decisões imediatas que beneficiam o negócio. A rotina dos colaboradores torna-se mais simples pois eles conseguem fazer análises mais rápidas e não necessitam de procurar informação em diversas fontes de dados.

Redução dos custos

Reduzir custos é uma preocupação constante nas empresas. O maior controlo sobre os processos permite ações mais conscientes que, automaticamente, conduzirão a decisões mais acertadas e vantajosas para as contas da empresa. Além disso, a substituição de processos manuais por soluções automatizadas, com a consequente redução de erros e identificação precoce de falhas, contribuem positivamente para o controlo dos custos.

Informação integrada

Um sistema de gestão automatizado permite que toda a informação da empresa esteja concentrada num só local e isso faz com que o acesso aos dados seja mais fácil para todos os colaboradores. Esta rapidez no acesso à informação logística permite que se tomem decisões mais rápidas e conscientes, evitando atrasos na realização das tarefas. A informação integrada permite que se criem relatórios em tempo real, possibilitando a imediata deteção de eventuais problemas que comprometem o fluxo de trabalho.

Maior rendimento

A parceria correta entre o Homem e a máquina permite um maior rendimento no dia-a-dia. Permite ainda eliminar custos com excesso de mão-de-obra, pois consegue-se facilmente otimizar o trabalho dos colaboradores. A automatização no setor da logística traz essa vantagem, pois tarefas que antes necessitavam de intervenção humana, agora podem ser executadas de forma automática e muito mais rápida.

Identificação célere de oportunidades de negócio

Com a utilização de ferramentas automáticas poderá identificar oportunidades no exato momento em que elas surgem, o que lhe permitirá estar sempre um passo à frente da concorrência. Uma modificação na procura de um produto, por exemplo, poderá levá-lo a lançar uma campanha específica, o que vai aumentar as vendas e melhorar os resultados globais.

 

Conheça as vantagens de um sistema BAM e saiba como pode tirar o máximo partido desta ferramenta!

 

6 Dicas para criar relatórios empresariais

6 Dicas para criar relatórios empresariais

Posted Leave a commentPosted in Dicas de Gestão

Uma boa gestão exige informações precisas e atuais que possam servir de base para uma tomada de decisões eficiente. No dia-a-dia empresarial agitado não é aconselhável perder-se tempo a analisar dados de forma isolada. Um relatório é a consolidação da informação que passa a mensagem de forma direta sobre assuntos importantes para a empresa. No artigo de hoje, apresentamos 6 dicas para criar relatórios empresariais!

Seja objetivo

A informação no relatório deve ser objetiva e não deve haver rodeios. A linguagem utilizada deve ser simples e de fácil compreensão por todos aqueles a quem o relatório se destina. Se o seu relatório for muito longo, é aconselhável criar um índice que permita que o leitor encontre facilmente a informação de que precisa.

Tome notas todos os dias

Criar um relatório com qualidade exige um conhecimento profundo sobre o tema tratado. Por isso, é aconselhável andar sempre com um caderno de anotações, para que não perca nenhum detalhe discutido nas reuniões a respeito do projeto tratado no relatório.

Faça uma análise geral do tema tratado

A melhor forma de iniciar o relatório é fazer uma análise geral do assunto que vai ser tratado. Nesta parte, deve incluir análises do projeto sem grande detalhe, dando um vislumbre daquilo que vai ser tratado mais à frente. Deste modo, o leitor poderá decidir rapidamente se aquele relatório vai ser importante para a prossecução do seu trabalho.

Utilize informação visual

É muito mais fácil compreender a informação se esta for acompanhada de gráficos e de figuras que permitam compreender melhor o que se pretende transmitir. Um texto que apresente estatísticas, por exemplo, pode tornar-se aborrecido, pelo que é essencial criar gráficos que permitam uma leitura e uma compreensão mais rápidas.

Utilize informação atualizada

Os relatórios que têm informação com alguns dias de atraso vão provocar uma ação reativa e não proativa, o que pode ser um erro fatal no mundo empresarial atual. É fundamental que as empresas adotem soluções de monitorização do negócio como o Multipeers, que permitem analisar a cada momento o que está efetivamente a acontecer no negócio. A informação utilizada deve ser a mais atual possível, pois só assim se conseguirão tomar decisões benéficas para o futuro do negócio.

Utilize um sistema que integre as informações

Os softwares de monitorização do negócio em tempo real, como o Multipeers, interagem diretamente com todas as suas fontes de dados tais como bases de dados, web services, MDX, Microsoft Excel, Feeds RSS, conteúdos multimédia, e-mail, aplicações, entre outros. Pode ainda construir os seus próprios conetores usando a API fornecida, para que nenhuma informação da sua organização fique perdida. Assim, num só dashboard vai encontrar informação completa e atualizada sobre tudo o que se passa na empresa!

 

A importância dos dashboards empresariais para a tomada de decisões

A importância dos dashboards empresariais para a tomada de decisões

Posted Leave a commentPosted in Dicas de Gestão

Um dashboard é um painel de controlo que apresenta de forma visual as informações mais importantes sobre o negócio. O Multipeers permite que a informação seja atualizada de forma permanente e automática, de modo a que tenha ao seu dispor as informações mais atuais sobre tudo aquilo que se passa na sua empresa. Ao utilizar um dashboard, consegue facilmente perceber se os seus objetivos de negócio estão a ser cumpridos e qual o melhor caminho a tomar. No artigo de hoje, falamos sobre a importância dos dashboards empresariais para a tomada de decisões!

Agrega as informações da empresa num único local

Neste campo, é preciso ter cuidado para não ter um dashboard demasiado “cheio”, ou seja, com informação que não é relevante para a sua tomada de decisão. Isso só vai criar ruído visual e complicar a sua análise. Deve criar um dashboard de fácil leitura e apenas com os dados que realmente importam para si. Se conseguir criar um dashboard com informação útil e atual, será muito mais fácil saber que decisões deve tomar.

Objetivos do negócio sempre presentes e bem distribuídos

Ao utilizar um dashboard, consegue facilmente perceber se os seus objetivos de negócio estão a ser cumpridos. Relacionar os KPI’s com as atividades do dia-a-dia é essencial para que os objetivos individuais e globais sejam alcançados de forma mais simples. Só com um conhecimento efetivo do que se passa na empresa e da evolução das áreas.

Avaliação permanente do estado real do negócio

Uma das principais vantagens do uso de dashboards relaciona-se com o facto de poder analisar constantemente o presente e o passado do seu negócio e deste modo programar de forma mais eficaz o futuro. Com um dashboard, é muito fácil analisar o histórico da empresa e encontrar padrões de comportamento do passado que irão ajudar a tomar decisões no presente que não comprometem o futuro!

Identificação em tempo real de alterações importantes

Os gestores nem sempre conseguem identificar desvios nas rotinas de trabalho em tempo útil, o que compromete a produtividade do negócio. O dashboard vai juntar o histórico das operações da empresa e pode definir padrões para detetar desvios e anomalias em tempo real. Assim, o sistema é capaz de perceber que algo não está bem e de alertá-lo de imediato para que possa agir antes de se tornar um problema sério.

Os gestores nem sempre conseguem identificar desvios nas rotinas de trabalho em tempo útil, o que compromete a produtividade do negócio. Os dashboards juntam o histórico das operações da empresa e pode definir padrões para detetar desvios e anomalias em tempo real. Assim, o Multipeers é capaz de perceber que algo não está bem e de alertá-lo de imediato para que possa agir antes de se tornar um problema sério!

 

Tudo que você precisa saber sobre gestão financeira empresarial

Tudo que você precisa saber sobre gestão financeira empresarial

Posted Leave a commentPosted in Dicas de Gestão

Você já parou para pensar sobre a importância da gestão financeira empresarial? Podemos dizer que a gestão financeira é tão importante, que todos os gestores e equipes deveriam cuidar dela o tempo todo. Sempre que qualquer colaborador identifica processos falhos ou sugere alguma nova forma de executar tarefas que influencie nos custos do negócio, ele está participando da gestão financeira. O setor financeiro de uma empresa é aquele que cuida da saúde e sobrevivência do negócio. Ele precisa identificar como ocorre o fluxo dos recursos, qual o volume, quais as principais demandas e a própria viabilidade do negócio.

Gestão financeira empresarial começa no plano de negócios

Quando falamos de uma empresa privada, é natural entender que as pessoas que investiram dinheiro no negócio queiram obter lucro. Sendo assim, o planejamento financeiro começa no primeiro dia, logo que você começa a estruturar o seu plano de negócios.

O que é preciso identificar quando você vai começar um empreendimento?

– Qual o investimento inicial?

– Qual o custo anual do negócio?

– Qual o capital de giro necessário?

– Qual a estimativa de faturamento?

– Qual o lucro previsto para o período?

– Em quanto tempo os investidores recuperarão o investimento?

Todas essas perguntas precisam ser respondidas já no plano de negócios. É evidente que só a história da empresa poderá conferir maior precisão a essas estimativas, mas é fundamental que o empreendedor faça um estudo bem detalhado da oportunidade que gerou a iniciativa empresarial.

Planejamento anual

De um modo geral, as empresas fazem seu planejamento financeiro por um período de um ano, que corresponde ao exercício contábil. Todas as áreas da empresa são bastante dependentes das decisões do departamento de finanças, pois delas dependem seus orçamentos e planos de ação.

A principal ferramenta de planejamento financeiro é o orçamento. É o setor financeiro que, com base nas previsões de entradas e saídas de recursos, determina qual o orçamento global. Cabe à direção da empresa identificar em que os recursos disponíveis serão aplicados.

O setor financeiro pode, também, identificar necessidade de corte de custos, visando a preservação da saúde da organização, assim como a aplicação das reservas de capital no mercado financeiro.

Voltando ao orçamento, ele identifica as receitas previstas e as despesas, inclusive financeiras, se houver endividamento. Além disso, identifica o pagamento de dívidas programado para o período.

Com essa medida, identifica se o orçamento é superavitário ou deficitário, se há necessidade de redução de custos ou geração de novas receitas.

 Fluxo de caixa

O orçamento anual identifica quais serão as entradas e saídas de recursos financeiros ao longo do período. Há, porém, um outro controle importante, que é o fluxo de caixa.

O fluxo de caixa procura identificar as movimentações do caixa no dia a dia. É possível e necessário fazer um planejamento anual de fluxo de caixa. No entanto, essa ferramenta deve ser utilizada no dia a dia. Sua finalidade é evitar que o caixa da empresa fique descoberto, prejudicando a operação e/ou gerando endividamento para repor o capital de giro.

O orçamento e o fluxo de caixa são ferramentas de planejamento e controle financeiro, mas interferem em todos os setores da empresa. Por isso, é bastante correto dizer que a gestão financeira tem que ser feita por todos os gestores e colaboradores.

Riscos e oportunidades como fatores de equilíbrio financeiro

Ao dizer que todos devem participar da gestão financeira, assumimos que essa é uma tarefa dinâmica. O planejamento serve para tornar os eventos mais previsíveis, mas raramente tudo sairá de acordo com o planejado. A empresa pode identificar uma grande oportunidade e aumentar o faturamento. Todos estão trabalhando para isso.

Ao mesmo tempo, pode surgir um gasto inesperado provocado por um risco ignorado no planejamento. Um acidente de trabalho, cadeia de fornecedores deficiente, encarecimento da matéria prima, tudo pode acontecer, principalmente se os riscos não forem calculados. Por isso, inclusive, o planejamento financeiro deve sempre ser pessimista.

Ferramentas de controle – ERP / Contabilidade

Por outro lado, a empresa deve também acompanhar os resultados. A contabilidade, como sabemos, é a responsável por confeccionar os demonstrativos contábeis, que fornecem um panorama financeiro da empresa, que inclui o resultado do exercício, o equilíbrio entre ativo e passivo e a situação patrimonial.

Além de atender às demandas fiscais e cuidar do correto recolhimento dos impostos, a contabilidade contribui para o controle financeiro com poderosas ferramentas de planejamento, entre eles o balanço anual.

Na outra ponta desse processo estão as ERPs, poderosas ferramentas de gestão, que permitem que os gestores tenham controle em tempo real sobre contas a pagar, fluxo de caixa, evolução das receitas do mês e outras variáveis do negócio que impactam nas finanças.

Lembra-se de quando dissemos que a gestão financeira é tão importante que deveria ser tarefa de todos na empresa? São as ferramentas de TI e gestão que podem tornar isso possível, oferecendo a todos os gestores uma visão única e atualizada da situação do negócio.

O departamento de marketing, por exemplo, pode entender melhor o comportamento de compra e, com isso, melhorar a qualidade do giro de mercadorias no estoque e na prateleira, de modo a gerar ciclos menores e menos desperdício de recursos. Com isso, contribuirá para a melhora do fluxo de caixa da empresa.

O grande passo que todas as empresas precisarão dar é integração do software de gestão empresarial com o sistema do escritório contábil. A ideia da integração contábil faz pensar na escolha entre subir 50 andares de escada ou tomar o elevador. Por meio dela, o contador tem acesso remoto a todas as informações e documentos com valor contábil. Ele migra essas informações direto para o seu sistema, sem precisar sair do seu escritório.

Essa simples ferramenta reduz a quase zero o risco de erros na confecção dos demonstrativos contábeis e elimina todas as tarefas da empresa relacionadas diretamente à contabilidade. O mais importante, no entanto, é que seus demonstrativos podem ser publicados quase que em tempo real.

Artigo by GestãoClick

5 Motivos que indicam que a sua empresa precisa de um sistema de gestão em tempo real

5 Motivos que indicam que a sua empresa precisa de um sistema de gestão em tempo real

Posted Leave a commentPosted in Dicas de Gestão

Já não é novidade de que os negócios acontecem a um ritmo cada vez mais acelerado. As empresas precisam de estar sempre a par de tudo o que se passa, pois só assim conseguirão manter-se competitivas e proativas, algo que o mercado exige cada vez mais. Atualmente, já não é possível que uma empresa sobreviva apenas com base em informação com alguns dias: é necessário que o gestor acompanhe em tempo real todos os eventos que acontecem no seu negócio. No artigo de hoje, apresentamos-lhe 5 motivos que indicam que a sua empresa precisa de um sistema de gestão em tempo real!

Necessita de tomar decisões mais conscientes

Quando o gestor sabe exatamente o que se passa no negócio, é muito mais fácil tomar a decisão certa e esta é sem dúvida a vantagem mais imediata e mais importante de utilizar um sistema de informação em tempo real. A maior parte dos gestores baseia as suas decisões em relatórios com alguns dias, o que faz com que a sua ação seja reativa e não proativa. Analisar o negócio em tempo real permite-lhe ter todos os inputs necessários para que se possa decidir conscientemente sobre o melhor rumo a tomar, pois a informação que vai analisar é a mais atual e fidedigna possível.

Identificação mais rápida de oportunidades de negócio

Com a monitorização do negócio em tempo real poderá identificar oportunidades no exato momento em que elas aparecem, o que lhe permite estar sempre um passo à frente da concorrência. Uma flutuação na procura de um produto, por exemplo, poderá levá-lo a lançar uma campanha específica, aumentando as vendas e melhorando os resultados da empresa. Numa época em que a concorrência é tão intensa, ter esta vantagem competitiva é essencial para vencer.

Definição de alertas de negócio para que saiba sempre o que se passa

Os softwares de monitorização do negócio como o Multipeers permitem a definição de alertas de negócio para que seja avisado sempre que alguma situação sai do seu padrão previamente definido. Onde quer que esteja, será notificado por SMS ou e-mail sobre eventuais alterações aos seus padrões previamente estabelecidos e poderá agir de imediato, antes mesmo de haver prejuízos sérios para a organização.

Conexão a todas as fontes de dados para reduzir a busca de informação

Os softwares de monitorização do negócio em tempo real interagem diretamente com todas as suas fontes de dados tais como bases de dados, web services, MDX, Microsoft Excel, Feeds RSS, conteúdos multimédia, e-mail, aplicações, entre outros. Pode ainda construir os seus próprios conetores usando a API fornecida, para que nenhuma informação da sua organização fique perdida. Assim, num só dashboard vai encontrar informação completa e atualizada sobre tudo o que se passa na empresa!

Menor probabilidade de errar

O uso de sistemas de análise de dados em tempo real reduz as falhas de comunicação e acelera a consolidação dos dados, reduzindo assim a probabilidade de cometer erros prejudiciais para o negócio. Toda a informação da empresa vai estar condensada apenas num local, o que torna os processos de análise mais ágeis e eficazes.

 

Analisar os dados em tempo real é cada vez mais uma realidade nas empresas em todo o Mundo. Os negócios acontecem a um ritmo muito acelerado e é essencial que saiba o que está a acontecer na sua empresa para conseguir tomar as decisões mais adequadas para o seu negócio. Faça download do nosso e-book e saiba como uma ferramenta BAM o pode ajudar a gerir!

Como deve ser o gestor do futuro?

Como deve ser o gestor do futuro?

Posted Leave a commentPosted in Dicas de Gestão

O gestor do futuro não pode ser igual ao gestor do passado. O mundo empresarial muda a um ritmo alucinante, pelo que é necessário que o gestor esteja sempre a par das últimas alterações do mercado, pois só assim consegue manter-se competitivo e tomar as decisões mais acertadas para o futuro do negócio. Espera-se que o gestor do futuro seja mais proativo do que agora e que não espere as situações acontecerem para agir. No artigo de hoje, abordamos os principais aspetos sobre as características que um gestor do futuro deve ter!

Mais do que um gestor deve ser um líder

O gestor deve ser um exemplo a seguir e deve conseguir motivar a sua equipa a trabalhar na direção que acredita ser a mais indicada para o negócio. O gestor não pode ser alguém que dá ordens e espera que estas sejam cumpridas cegamente. Deve ser um líder dentro da organização, pois só assim conseguirá fazer a diferença.

Saber ouvir

É um conselho que cabe em qualquer área da vida pessoal e profissional. Como se costuma dizer, se temos dois ouvidos e apenas uma boca, devemos falar menos e ouvir mais! No mundo empresarial, o líder do futuro deve saber ouvir mais os seus colaboradores pois só assim será capaz de encontrar problemas e implementar melhorias. Quando o líder ouve os seus colaboradores, estabelece-se uma relação mais próxima entre eles e em conjunto conseguirão encontrar respostas que serão benéficas para a gestão.

Analisar constantemente o negócio

“Um negócio que não produz nada além de dinheiro é um negócio pobre”: a célebre frase é de Henry Ford e ainda se mantém atual. Um bom líder deve avaliar um negócio como um todo e não se focar apenas no dinheiro. O gestor deve ser capaz de avaliar os aspetos financeiros, mas também os aspetos relacionados com a motivação dos colaboradores, condições de trabalho e impacto social do negócio.

Simplificar os processos

“A simplicidade é a suprema sofisticação”: esta frase constava no primeiro flyer da Apple e era uma filosofia seguida pelo Steve Jobs. Steve Jobs eliminava todos os elementos acessórios e centrava-se apenas no que realmente era importante. Os gestores têm tendência a complicar tudo, desde a criação de relatórios até à realização de reuniões demoradas. Um bom gestor deve ser capaz de apresentar a informação à sua equipa de uma forma simples e de fácil entendimento para que o trabalho possa fluir a um bom ritmo. É muito por causa da necessidade cada vez maior desta simplicidade que surgiram softwares como o Multipeers, permitindo analisar a informação em tempo real de uma forma simples, prática e intuitiva.

Conhecer a tecnologia

Não é expectável que o gestor do futuro seja um expert em tecnologia, mas deve ter conhecimento sobre as ofertas existentes no mercado que possam melhorar a produtividade da organização. A tecnologia tem cada vez mais impacto no mundo empresarial, pelo que esta área deve ser acompanhada de perto pelo gestor.