Como deve ser o gestor do futuro?

Como deve ser o gestor do futuro?

Posted Leave a commentPosted in Dicas de Gestão

O gestor do futuro não pode ser igual ao gestor do passado. O mundo empresarial muda a um ritmo alucinante, pelo que é necessário que o gestor esteja sempre a par das últimas alterações do mercado, pois só assim consegue manter-se competitivo e tomar as decisões mais acertadas para o futuro do negócio. Espera-se que o gestor do futuro seja mais proativo do que agora e que não espere as situações acontecerem para agir. No artigo de hoje, abordamos os principais aspetos sobre as características que um gestor do futuro deve ter!

Mais do que um gestor deve ser um líder

O gestor deve ser um exemplo a seguir e deve conseguir motivar a sua equipa a trabalhar na direção que acredita ser a mais indicada para o negócio. O gestor não pode ser alguém que dá ordens e espera que estas sejam cumpridas cegamente. Deve ser um líder dentro da organização, pois só assim conseguirá fazer a diferença.

Saber ouvir

É um conselho que cabe em qualquer área da vida pessoal e profissional. Como se costuma dizer, se temos dois ouvidos e apenas uma boca, devemos falar menos e ouvir mais! No mundo empresarial, o líder do futuro deve saber ouvir mais os seus colaboradores pois só assim será capaz de encontrar problemas e implementar melhorias. Quando o líder ouve os seus colaboradores, estabelece-se uma relação mais próxima entre eles e em conjunto conseguirão encontrar respostas que serão benéficas para a gestão.

Analisar constantemente o negócio

“Um negócio que não produz nada além de dinheiro é um negócio pobre”: a célebre frase é de Henry Ford e ainda se mantém atual. Um bom líder deve avaliar um negócio como um todo e não se focar apenas no dinheiro. O gestor deve ser capaz de avaliar os aspetos financeiros, mas também os aspetos relacionados com a motivação dos colaboradores, condições de trabalho e impacto social do negócio.

Simplificar os processos

“A simplicidade é a suprema sofisticação”: esta frase constava no primeiro flyer da Apple e era uma filosofia seguida pelo Steve Jobs. Steve Jobs eliminava todos os elementos acessórios e centrava-se apenas no que realmente era importante. Os gestores têm tendência a complicar tudo, desde a criação de relatórios até à realização de reuniões demoradas. Um bom gestor deve ser capaz de apresentar a informação à sua equipa de uma forma simples e de fácil entendimento para que o trabalho possa fluir a um bom ritmo. É muito por causa da necessidade cada vez maior desta simplicidade que surgiram softwares como o Multipeers, permitindo analisar a informação em tempo real de uma forma simples, prática e intuitiva.

Conhecer a tecnologia

Não é expectável que o gestor do futuro seja um expert em tecnologia, mas deve ter conhecimento sobre as ofertas existentes no mercado que possam melhorar a produtividade da organização. A tecnologia tem cada vez mais impacto no mundo empresarial, pelo que esta área deve ser acompanhada de perto pelo gestor.

Tudo o que precisa de saber sobre gestão documental

Tudo o que precisa de saber sobre gestão documental

Posted Leave a commentPosted in Dicas de Gestão

Na maior parte das empresas existem armários cheios de documentos que quase nunca são consultados, mas que sempre que é preciso consultar alguma informação se perde imenso tempo. Pesquisas recentes revelam que 90% dos documentos que utilizamos diariamente estão misturados com documentos que não têm utilidade. Revelou-se ainda que 80% dos documentos escritos de forma manual nunca são consultados e que o tempo gasto na gestão deste tipo de documentação representa uma das 10 atividades que mais tempo “rouba aos colaboradores”. Tendo em conta este cenário, torna-se evidente que a gestão documental é realmente necessária nas empresas contemporâneas. No artigo de hoje abordamos tudo o que precisa de saber sobre gestão documental!

O que é gestão documental?

A gestão documental é o processo de gestão e de controlo de todos os documentos existentes na organização em formato digital. Esses documentos podem ter versão física, digital ou versão na Cloud, servem como registo e consulta de procedimentos empresariais e mantêm-se na organização por um período de um ou dois anos. A gestão documental envolve todos os documentos, desde contratos, licenças e e-mails que sejam importantes para a criação de um histórico de relação com os clientes. Desde o momento em que o documento chega à empresa que segue algumas etapas:

  • Desmaterialização: o documento é recebido e é logo digitalizado
  • Classificação: estando já desmaterializado, o documento passa pela classificação, momento em que o seu grau de importância é definido e onde se define qual o local em que vai ser armazenado
  • Ciclo de vida: após a classificação, o documento passa pelo ciclo de vida definido de todos os documentos. Passa pela publicação, aprovação, encaminhamento, reencaminhamento com correções e destruição. Estando todas estas etapas cumpridas, torna-se mais fácil para o colaborador encontrar o arquivo através de um sistema de busca.

Vantagens da gestão documental

Maior organização

Os documentos encontram-se organizados por categorias e torna-se muito mais fácil encontrá-los. A falta de um sistema de gestão documental leva a que se perca muito tempo na procura de documentos, o que quebra a produtividade.

Otimização do espaço

Este método faz com que não seja preciso ter armários repletos de documentos, pois todo o arquivo se converte em formato eletrónico. Deste modo, o espaço de trabalho fica mais organizado e bastante mais agradável e reduzem-se os riscos de perdas de documentos por catástrofes naturais.

Maior agilidade

É mais fácil uma consulta simultânea e a apresentação de documentos em reunião, por exemplo, quando estes se encontram digitalizados. Os métodos de pesquisa eletrónicos são também mais fáceis quando os arquivos estão em formato digital.

Mais segurança

A gestão documental é essencial para garantir que os regulamentos estão a ser cumpridos pela organização e este é um dos principais motivos pelos quais a gestão documental deve ser encarada como uma prioridade para a empresa. Assim, é possível garantir a integridade da informação e a sua documentação.

Processos padronizados

Este tipo de soluções permite que exista uma padronização no acesso à informação, gerindo direitos de acesso, alterações e envios. Todos os colaboradores têm acesso aos documentos de que precisam e a partir de qualquer lugar. A comunicação interna sai assim facilitada, reduzindo o fluxo de informações impressas.

Simplificação do fluxo de trabalho

O fluxo da criação de um documento para aprovação varia em cada empresa, mas é comum que seja demasiado complicado em quase todas elas. Uma das razões é a necessidade de obter a aprovação de várias pessoas e caso não exista uma boa gestão documental esse processo torna-se muito moroso e burocrático. Um modelo simples resolve essa questão. Na gestão documental, a maioria dos serviços é implementada com fluxos de trabalho, o que torna mais fácil a agilidade nos processos, distribuindo o documento criado no sistema para o seu responsável poder arquivar o arquivo. Com esta simplificação dos processos, o tempo para realizar uma tarefa é reduzido, aumentando a eficiência da empresa!

 

 

7 vantagens imediatas da análise dos dados em tempo real

7 vantagens imediatas da análise dos dados em tempo real

Posted Leave a commentPosted in Dicas de Gestão

A informação em tempo real é uma necessidade cada vez mais presente na vida das empresas atuais. Os gestores já não podem deixar as suas decisões para depois e não é aconselhável que utilizam relatórios com alguns dias como fonte de dados para decidirem. A vida dos negócios acontece agora, a cada momento, pelo que é indispensável que os gestores tenham um conhecimento atual e fidedigno de todas as situações da empresa. Softwares como o Multipeers serão cada vez mais uma presença constante nas empresas. No artigo de hoje, apresentamos-lhe 7 vantagens imediatas da análise dos dados em tempo real para os negócios!

Decisões mais conscientes

Quando o gestor sabe exatamente o que se passa no negócio, é muito mais fácil tomar a decisão certa e esta é sem dúvida a vantagem mais imediata e mais importante de utilizar um sistema de informação em tempo real. Analisar o negócio em tempo real permite ter todos os inputs necessários para que se possa decidir conscientemente sobre o melhor rumo a tomar, pois a informação que vai analisar está atualizada e é fidedigna.

Definição de alertas de negócio

Os softwares de monitorização do negócio como o Multipeers permitem a definição de alertas de negócio para que seja avisado sempre que alguma situação sai do seu padrão. Onde quer que esteja, será notificado por SMS ou e-mail sobre eventuais alterações aos seus padrões previamente estabelecidos e poderá agir de imediato, antes mesmo de haver prejuízos para a organização. Esta revela-se uma enorme vantagem competitiva pois possibilita uma ação imediata e impede consequências negativas para o negócio.

Consulta da informação em qualquer dispositivo

Quase todos os programas de gestão de informação em tempo real apresentam a possibilidade de serem utilizados em dispositivos móveis, o que é uma enorme vantagem visto que o mercado empresarial está cada vez mais móvel. Com esta ferramenta, pode estar numa reunião ou numa viagem e ter informação real e atualizada sobre o estado verdadeiro do seu negócio.

Deteção precoce de eventuais problemas

Uma falha no processo de produção pode significar problemas sérios com clientes, fornecedores e parceiros se não for detetado e corrigido a tempo, destruindo linhas produtivas completas e prejudicando a relação com stakeholders. Acompanhar o processo produtivo em tempo real permite identificar eventuais falhas e a sua respetiva correção em tempo útil. Deste modo, quaisquer desvios serão corrigidos o mais rapidamente possível.

Utilização de diversas fontes de dados em simultâneo

Com a utilização de um sistema de análise em tempo real é possível agregar num só sistema toda a informação relativa à empresa. Deste modo, o acesso à informação torna-se bastante mais fácil e intuitivo, reduzindo o tempo que anteriormente o gestor gastava a condensar informações oriundas de diversas fontes de dados.

Diminuição da probabilidade de errar

O uso de sistemas de análise de dados em tempo real reduz as falhas de comunicação e acelera a consolidação dos dados, reduzindo assim a probabilidade de cometer erros prejudiciais para o negócio. Toda a informação da empresa vai estar condensada apenas num local, o que torna os processos de análise mais ágeis e eficazes.

Identificação célere de oportunidades de negócio

Com a utilização de uma ferramenta de análise em tempo real poderá identificar oportunidades no exato momento em que elas surgem, o que lhe permitirá estar sempre um passo à frente da concorrência. Uma modificação na procura de um produto, por exemplo, poderá levá-lo a lançar uma campanha específica, o que vai aumentar as vendas e melhorar os resultados globais.

 

Analisar os dados em tempo real é cada vez mais uma realidade nas empresas em todo o Mundo. Os negócios acontecem a um ritmo muito acelerado e é essencial que saiba o que está a acontecer na sua empresa para conseguir tomar as decisões mais adequadas para o seu negócio. Faça download do nosso e-book e saiba como uma ferramenta BAM o pode ajudar a gerir!

5 atitudes que podem levar sua empresa ao topo

Posted Leave a commentPosted in Dicas de Gestão

No mundo das empresas todo mundo fala sobre sucesso, em atingir seus objetivos e em ser bem-sucedido. O que pouca gente diz é que para uma empresa conquistar estabilidade e respeito ela deve trilhar um longo caminho. Não existe regra mágica para o sucesso, mas algumas atitudes e ações podem garantir maiores chances de vitória num mercado cada vez mais competitivo. Baseando-se nas melhores práticas empresariais, selecionamos 5 atitudes que diferenciam as empresas de sucesso das demais. Confira a seguir:

1 – Seja competente

Há uma frase muito famosa no mundo da gestão empresarial que diz: “É preciso muita coragem para fazer diferente e muita competência para fazer a diferença”.  Ser competente é bem mais do que ser original ou fazer bem feito. A competência está diretamente ligada a capacidade de uma empresa em ir além, oferecendo mais do que os seus clientes esperam. Há muitas boas empresas, mas somente os negócios verdadeiramente competentes se tornam referência. Apple, Microsoft, Google ou aquele restaurante que você sempre vai numa ocasião especial tem em comum o fato de que a competência transcende o tamanho, estilo ou capital de uma empresa. A competência dialoga com a paixão com que o seu negócio oferece seus produtos e a forma como lida com sua gestão.  Definir-se como competente atrai não apenas a fidelidade dos clientes, mas também o respeito e a admiração dos concorrentes.

2 – Saiba lidar com o fracasso

Qualquer tentativa de simplificar o sucesso é inútil. Não há sucesso sem uma boa dose de fracasso. Muito mais do que um objetivo, o sucesso é o resultado de um complexo jogo de tentativa e erro. Empresas que atingiram o êxito possuem um histórico de falhas, deslizes e problemas superados. O problema não está em falhar, mas em se acostumar com o erro. Negócios de sucesso jamais transformam o erro em regra, mas convertem os problemas de percurso em novos caminhos. Empresas vitoriosas são aquelas que encontram oportunidade em situações onde outros negócios simplesmente desistiriam. O segredo para saber lidar com o fracasso é reconhecer seus pontos fracos, fortalece-los e evitar repetir os mesmos tropeços. Toda derrota possui uma lição que pode levar sua empresa a um caminho melhor e mais bem-sucedido.

3 – Saiba lidar com o sucesso

Você certamente deve se lembrar de alguma empresa que sucesso que simplesmente decaiu depois de atingir o auge. O mundo dos negócios está cheio de exemplos assim. Pode parecer estranho, mas a maioria das empresas simplesmente não está preparada para lidar com o sucesso. Muitas empresas buscam tanto alcançar o êxito que, ao atingirem o que buscam, não sabem como administrar isso. O guru do mundo dos negócios Warren Buffet costuma dizer: “Se você acertou, pare de tentar.” Muitas empresas confundem inovação com desperdício de boas ideias e perdem muito dinheiro tentando reinventar a roda, quando já possuem um ótimo produto ou serviço em mãos. Algumas vezes é preciso apenas colher o momento e simplesmente aproveitar os frutos do sucesso, sem a necessidade de desfazer um projeto em troca de outro. Se sua empresa atingiu as metas, se seus clientes estão satisfeitos e seus funcionários são produtivos, aproveite. Aprimore suas ideias, busque inovações que dialoguem com seu o estilo de gestão e não desperdice a chance de obter certa estabilidade por conta de um ideal de constante insatisfação. Estar plenamente satisfeito não é acomodar-se, mas faz parte do jogo empresarial.

4 – Saiba realmente o que os seus clientes querem

É impossível obter sucesso sozinho, este é um fenômeno que está ligado às pessoas ao redor. O mesmo vale para as empresas. Negócios dependem de muitos fatores para obter suas conquistas, mas os clientes são o coração de qualquer tipo de empreendimento. Muitas empresas comentem o risco de buscarem sucesso criando produtos e serviços para o mercado e se esquecem que o mercado é feito por pessoas. Não existe chance de êxito para um empreendimento que não ouça seus clientes. Entenda o que eles precisam, quais são seus problemas, desejos e objetivos. A satisfação pessoal de seus consumidores está diretamente relacionada ao sucesso de sua empresa. Crie produtos e serviços que realmente melhorem a vida de pessoas. Com isso sua empresa obterá mais do que sucesso, ela será inesquecível.

5 – Esteja sempre um passo adiante

O maior veneno contra o sucesso é a falta de inovação. Empresas acostumadas a operarem sempre do mesmo modo, dentro da mesma rotina, dificilmente descobrem novos caminhos. A dica é utilizar ferramentas que modifiquem, para melhor, a forma de gestão de seu negócio, maximizando sua produtividade e elevando a qualidade de seus produtos e serviços. Uma forma de dar um passo à frente na hora de administrar sua empresa é investir em um programa de automação comercial (os chamados ERP). Com um ERP sua empresa passa a gerenciar, de modo centralizado e informatizado, setores como contas a pagar e receber, controles de estoque, cadastro de clientes, fornecedores, fluxo de caixa, folhas de ponto e muito mais. Com o ERP da GestãoClick sua empresa contará ainda com o que há de mais moderno no mundo dos sistemas de automação comercial, com um sistema 100% integrado em nuvem, o que garante maior acessibilidade e segurança na hora de armazenar os dados de sua empresa. O importante é sair da rotina e investir em modelos de gestão eficientes para manter o seu negócio relevante.

Resumindo:

A definição de sucesso depende das metas propostas por sua empresa. Com dedicação e foco é possível trilhar um caminho promissor, tornando seu negócio relevante e fidelizando seus clientes. A dica principal é criar um plano de gestão baseado nas atitudes que vimos aqui: competência, capacidade de lidar com fracassos, maturidade para lidar com o sucesso, proximidade com o cliente e inovação.

Guestpost by Gestaoclick

 

Como é o processo de tomada de decisão nas empresas de sucesso?

Como é o processo de tomada de decisão nas empresas de sucesso?

Posted Leave a commentPosted in Dicas de Gestão

Decisões, decisões e mais decisões: é assim o dia-a-dia de um gestor. Qualquer decisão interfere no sucesso (ou insucesso) do negócio, pelo que é fundamental ter conhecimento adequado e atualizado no momento de decidir. As decisões devem ser tomadas de modo consciente, pois quando decidimos intuitivamente, sem dados e factos concretos, poderemos estar a prejudicar seriamente o nosso negócio. No artigo de hoje, vamos perceber como é o processo de tomada de decisão nas empresas de sucesso!

Primeira etapa: identificação do problema

Numa grande parte das situações, a tomada de decisão tem como objetivo resolver um problema. Assim, é preciso identificar a sua origem e listar todas as possíveis soluções. Esta etapa parece básica mas é uma das mais importantes, pois vai dar-nos os dados necessários para sabermos qual caminho escolher. No final, a decisão tomada terá que estar de acordo com o problema identificado. Se isso não acontecer, a decisão tomada poderá ser completamente ineficaz para as necessidades da empresa.

Segunda etapa: recolha de dados

Nesta etapa, é importante fazer uma recolha dos dados necessários para tomar a decisão. É aqui que se faz uma análise completa da situação. Cada vez mais, os gestores precisam de ter acesso aos dados em tempo real. Soluções como o Multipeers permitem que o gestor tenha acesso a todas as informações oriundas de todas as fontes de dados da empresa. Este cenário é o mais indicado para que a decisão tomada seja a correta para o negócio, uma vez que o gestor sabe, a cada momento, exatamente aquilo que se passa no seu negócio. A informação em tempo real é cada vez mais uma necessidade e uma realidade nas empresas de todo o Mundo.

Terceira etapa: avaliar todas as hipóteses

Antes de tomar uma decisão, o gestor deve identificar e analisar pormenorizadamente todas as alternativas disponíveis. O mesmo problema pode ter várias soluções e o gestor deve contar com a ajuda da sua equipa para escolher o melhor caminho a seguir. Deste modo, não só a empresa ganha pois a opinião de todos será, certamente, melhor que a de uma pessoa só, como os colaboradores se sentirão mais motivados pois sentem-se parte integrante do processo.

Quarta etapa: decisão e acompanhamento

A última etapa é escolher a alternativa mais adequada à realidade da empresa. Contudo, o processo de decisão não deve ficar extinto no momento em que se decide. Para que haja uma evolução positiva do negócio, todas as decisões devem ser acompanhadas continuamente, de modo a perceber se realmente foi a decisão certa para o negócio e para aplicar alterações caso sejam necessárias.

Analisar os dados em tempo real é cada vez mais uma realidade nas empresas em todo o Mundo. Os negócios acontecem a um ritmo muito acelerado e é essencial que saiba o que está a acontecer na sua empresa para conseguir tomar as decisões mais adequadas para o seu negócio.

Conheça as vantagens do sistema BAM e saiba como estas ferramentas podem ajudar o seu negócio!

 

Conheça os principais indicadores industriais e saiba como podem ajudá-lo no dia-a-dia

Conheça os principais indicadores industriais e saiba como podem ajudá-lo no dia-a-dia

Posted Leave a commentPosted in Dicas de Gestão

“O que não pode ser medido não pode ser controlado”: esta frase faz todo o sentido no mundo dos negócios e, cada vez mais, os gestores têm a consciência de que é necessário avaliar cada uma das suas ações. Só com um acompanhamento efetivo de tudo aquilo que se passa num negócio é que é possível aplicar medidas de melhoria e conseguir níveis elevados de performance. Os KPI – key performance indicadores – são fundamentais no processo de gestão, avaliação e de melhoria contínua de um negócio. No artigo de hoje, vamos falar sobre os principais indicadores industriais e explicar como podem ajudá-lo no dia-a-dia!

Indicadores de Produção

Em qualquer indústria é fundamental que exista uma monitorização contínua da produção, com o objetivo de analisar a sua eficiência e tempo de atividade. Os indicadores de produção, quando bem aplicados, ajudam a reduzir os custos produtivos, a melhorar os níveis de produtividade e a aumentar o lucro. Alguns dos indicadores de produção mais utilizados são os seguintes: número de produtos produzidos, tempo de inatividade de uma máquina ou de um colaborador e horas trabalhadas na produção.

Indicadores de Pedidos

Estes indicadores dão-nos informações sobre stocks, liquidez, inventários, entre outros aspetos. São indicadores que nos permitem ter uma visão global sobre aquilo que temos no momento para venda, quais os pedidos que falta concluir e qual a nossa rentabilidade financeira. Os principais indicadores deste tipo são: volume de negócios, percentagem de encomendas não cumpridas, índice de inventário para vendas e percentagem de encomendas entregas no tempo devido.

Indicadores Económicos

Os indicadores económicos são transversais a todas as atividades e têm um peso muito significativo para a indústria. Estes indicadores dão-nos todas as informações relativas à saúde financeira do negócio. Os principais indicadores nesta área são: margem de contribuição, percentagem de lucro, ponto de equilíbrio económico, EBITDA, ticket médio e amortizações.

 

Como é que estes indicadores me podem ajudar no dia-a-dia?

  • Informação relevante para decisões conscientes: os KPI’s fornecem muita informação sobre a empresa e nessa medida tornam a tomada de decisão mais eficiente e mais fácil. Os gestores queixam-se frequentemente da falta de informação sobre a empresa para poderem decidir de forma consciente e estes indicadores de desempenho ganham um papel de destaque no momento de tomar decisões sobre o futuro da empresa. Os gestores só conseguem tomar decisões assertivas e acertadas se tiverem um total conhecimento sobre a realidade empresarial. E nada melhor que KPI’s para fornecer todo esse conhecimento.

  • Objetivos mais realistas e mais facilmente cumpridos: analisar o desempenho de uma empresa de forma constante garante que se dedique uma maior atenção ao cumprimento dos objetivos. Um processo eficiente deve ser planeado e controlado. O acompanhamento contínuo do desempenho assume um papel de grande relevância no planeamento e posterior controlo, pois fornece informações sobre processos desenvolvidos pela organização. A eficácia de qualquer estratégia de controlo depende em grande medida da correta adequação das métricas de desempenho desenvolvidas e dos KPI’s.

  • Mais conhecimento sobre a estratégia empresarial: é fundamental que cada colaborador da empresa ou organização conheça os seus KPI’s e que estes sejam atualizados com alguma frequência. “Se não soubermos para onde vamos, qualquer caminho serve”: o mesmo se aplica nas empresas. Se não tivermos consciência dos resultados que devemos atingir com o nosso trabalho, poderemos fazer qualquer coisa, e isso possivelmente não estará em linha com os objetivos gerais da organização. Definir os indicadores de cada colaborador e fazer a ligação com o sistema de monitorização é essencial para que se obtenha uma visão global e integrada do estado da empresa e do desempenho de cada um. É importante ainda referir que cada colaborador deve ter acesso apenas aos indicadores importantes para a prossecução do seu trabalho, de modo a ter um dia-a-dia mais focado e organizado.

Ter uma visão mais ampla é fundamental para conseguir acompanhar o negócio e tomar decisões acertadas. No dia-a-dia empresarial agitado de hoje em dia e com as exigências cada vez maiores dos consumidores, ter conhecimento sobre o mercado é uma arma obrigatória para se vencer. Faça download do nosso e-book sobre monitorização do negócio e saiba como um sistema BAM pode ajudar a sua empresa a crescer de modo sustentado!

7 decisões que podem levar uma empresa à falência

Posted Leave a commentPosted in Dicas de Gestão

Os gestores enfrentam todos os dias diversos momentos em que precisam de tomar decisões importantes para o rumo dos negócios. Atualmente, existem ferramentas como o Multipeers que ajudam os gestores a terem uma visão mais global e mais abrangente sobre o estado real das empresas, o que tem um peso muito significativo para uma tomada de decisão mais consciente. Contudo, decidir envolve sempre riscos e existem decisões que podem levar uma empresa à falência. No artigo de hoje, abordamos as 7 decisões que podem comprometer a sobrevivência de um negócio.

Partir para um novo investimento sem analisar o mercado

Se pretende abrir um negócio ou se pretende investir num novo produto ou mercado, é obrigatório estudar muito bem o mercado, as suas necessidades e características. Um investimento mal pensado pode arruinar um negócio. Quando uma empresa investe numa nova área, tende a canalizar os seus investimentos monetários e de tempo para essa área, acabando por descurar outros setores do negócio. Caso essa aposta seja falhada, poderá comprometer toda a viabilidade do negócio. Uma análise profunda e detalhada deve ser feita antes de se avançar para novos projetos.

Não ouvir o cliente

O cliente é importantíssimo para o sucesso de um negócio. Sem clientes, o negócio não faz sentido. Assim sendo, a empresa deve ter em consideração as necessidades do cliente e deve estar disponível para ouvir as suas críticas e sugestões. Muitas empresas cometem o erro de pensar que a venda se conclui no momento da compra. A verdade é que o serviço pós-venda é muito importante (cada vez mais!) e o cliente gosta de se sentir acompanhado mesmo depois da compra.

Não investir em marketing

As ferramentas de marketing são essenciais para todas as empresas que pretendem destacar-se no mercado. Com a evolução do marketing digital, é cada vez mais importante que as empresas invistam em ações de marketing que permitam captar a atenção dos potenciais clientes. Atualmente, uma empresa que não existe online é quase como se não existisse de verdade. Por isso, é fundamental que o marketing seja encarado como um vetor estratégico dos negócios.

Falta de planeamento

Muitas empresas não planeiam as suas ações e preferem ir agindo conforme as situações vão aparecendo. Esta é uma decisão que pode comprometer seriamente o sucesso dos negócios. As empresas devem fazer um planeamento a curto e a longo prazo e devem ter planos alternativos caso a estratégia escolhida não dê certo. Ter um bom planeamento é evitar surpresas desagradáveis e é estar sempre preparado para situações inesperadas.

Não acompanhar as alterações do mercado

Mesmo as empresas que estão no mercado há muitos anos devem estar sempre atentas às tendências do mercado. Ao longo dos anos, os comportamentos e hábitos dos consumidores alteram-se e as empresas devem estar preparadas para mudarem com eles. A empresa deve adaptar o seu produto/serviço às necessidades que o mercado vai apresentando pois só assim conseguirá manter-se na “luta”.

Não investir nas ferramentas adequadas

Muitas vezes, as empresas não querem investir em ferramentas de gestão devido ao seu preço, mas acabam por pagar um preço maior devido à falta de informação e à desorganização que se instala no negócio. Muitas ferramentas traduzem-se em maior eficiência e conhecimento de mercado, o que traz inúmeras vantagens para a empresa. Uma solução cada vez mais necessária e utilizada nas empresas é o Multipeers, que permite que analise o seu negócio em tempo real através de um dashboard que aglomera todas as informações oriundas das diversas fontes de dados que existem na empresa.

Não inovar

A inovação deve ser encarada como uma ferramenta estratégica nas empresas. Uma empresa que fica estagnada durante anos não tem nada de novo para oferecer ao público. Numa época em que a competição empresarial é tão “apertada”, é fundamental que as empresas tenham uma pessoa responsável pela parte da inovação, pois só assim conseguirão oferecer mais valor aos seus clientes.

 

 

 

5 erros comuns no tratamento da informação que precisa de eliminar já

5 erros comuns no tratamento da informação que precisa de eliminar já

Posted Leave a commentPosted in Dicas de Gestão

A informação é o bem mais valioso das empresas. A cada dia que passa, as empresas armazenam mais dados que precisam de ser tratados para que forneçam os inputs necessários a uma tomada de decisão eficaz e consciente. Quando a informação não é bem tratada e analisada, o mais provável é a empresa tomar decisões erradas que vão prejudicar o seu funcionamento. Assim, é essencial saber como lidar com a informação e é preciso eliminar todas as barreiras que impedem o bom tratamento dos dados. No artigo de hoje, apresentamos os 5 erros mais comus no tratamento da informação que precisa de eliminar já!

Erro nº1: Trabalhar sem objetivos

No mundo empresarial atual, que é tão competitivo, é muito importante que as empresas definam objetivos gerais e específicos, pois só deste modo saberão qual estratégia seguir para alcançarem os resultados pretendidos. Cada colaborador deve trabalhar com kPI’s específicos e adequados à sua função, pois só desta forma serão capazes de avaliar os dados e transformá-los em informação útil e benéfica para a prossecução do seu trabalho.

Erro nº2: Não acompanhar a rápida evolução tecnológica

Atualmente, a tecnologia evolui a uma velocidade alucinante, o que faz com que as empresas enfrentem constantemente o desafio de estarem atualizadas. Hoje em dia, a análise em tempo real é já uma realidade em muitas empresas. Se há uns anos era suficiente saber o que se passava na empresa uns dias depois dos acontecimentos, hoje essa realidade está completamente alterada. Analisar a informação empresarial em tempo real é o primeiro passo (e podemos arriscar dizer que é o mais importante) para conseguir decidir com consciência e de forma eficaz. Muitas empresas ainda cometem o erro de basear a sua atuação em relatórios com alguns dias. Sistemas como o Multipeers são cada vez mais imprescindíveis no mundo empresarial atual.

Erro nº3: Dar o mesmo acesso a todos os colaboradores

Este erro está ligado à segurança da informação, que é um dos aspetos mais importantes, mas que as empresas ainda descuram bastante. A informação da empresa não deve estar acessível a todos os colaboradores da mesma forma. Cada colaborador deve ter acesso apenas à parte da informação que precisa para desempenhar o seu trabalho. Isto vai fazer com que o colaborador se consiga focar mais facilmente e, ao mesmo tempo, vai permitir descobrir a origem de uma eventual fuga de informação.

Erro nº4: Não fazer backup dos dados

Parece um conselho muito básico, mas infelizmente muitas empresas não têm ainda implementado uma política séria de backup.Vivemos num mundo cada vez mais conectado e com cada vez mais ameaças virtuais. Assim sendo, é essencial que esteja preparado para qualquer situação que possa colocar a segurança da sua informação em risco. Nos dias que correm, colocar uma senha de segurança nos seus arquivos mais importantes já não é suficiente. Fazer um backup de dados frequentemente é um passo fundamental para garantir que não vai perder dados sigilosos e de máxima importância. Além disso, é aconselhável que utilize um sistema de recuperação em caso de desastres, como o RAAS. O disaster recovery deve ser encarado como um must have nas empresas, pois é a garantia de que a informação mais importante da empresa está salvaguardada e de que a empresa continuará a funcionar corretamente mesmo quando problemas informáticos acontecem.

Erro nº 5: criar relatórios complexos

A tendência dos gestores é criar relatórios com muitas páginas e com termos complexos que dificultam a sua análise. O ideal é fazer relatórios curtos que contenham apenas a informação essencial para tomar as decisões mais acertadas para o negócio. Crie gráficos apelativos e de fácil leitura pois através destes elementos será mais fácil transmitir a sua mensagem e entender melhor os dados. Se complicar demasiado a apresentação da informação, vai desmotivar os colaboradores que tiverem que fazer a sua análise!

Os principais pilares da segurança de informação nas empresas

Os principais pilares da segurança de informação nas empresas

Posted Leave a commentPosted in Dicas de Gestão

Podemos arriscar dizer que “segurança” foi a palavra mais ouvida no âmbito das necessidades empresariais em 2018. Na sequência da entrada em vigor do novo regulamento geral de proteção dos dados, as empresas preocuparam-se efetivamente em garantir que a sua informação se encontrava segura, adotando novas ferramentas e novas formas de lidar com a onda gigante de dados que é gerada diariamente. Mas quais são os principais pilares da segurança de informação nas empresas?

Confidencialidade

A confidencialidade diz respeito a todos os procedimentos e políticas que permitem restringir e regular o acesso a informações sensíveis e confidenciais. É importante que numa empresa o acesso à informação esteja regulamentado e que tenha vários níveis, de acordo com os cargos e com a necessidade de acesso de cada colaborador. A maior parte dos ataques informáticos tem origem interna, pelo que é preciso ter muito cuidado para que a informação mais importante da empresa não caia nas mãos erradas.

Integridade

A integridade é um pilar importante visto que permite identificar se houve alguma alteração no processo ou envio dos dados. A integridade dos dados é essencial para o bom funcionamento de uma empresa e é importante que os dados se mantenham inalterados mesmo após passarem por sucessivas pessoas. Os dados confidenciais de uma empresa não podem ser alterados por qualquer colaborador, devendo haver um procedimento definido para esta situação.

Disponibilidade

Os dados devem estar disponíveis sempre que seja necessário aceder aos mesmos. A segurança da informação não pode permitir que os dados estejam “num lugar longínquo”, em que sejam necessárias muitas etapas para conseguirmos visualizá-los. O armazenamento na Cloud tem vindo a ganhar cada vez mais “adeptos” ao longo dos últimos anos, uma vez que permite que os dados estejam disponíveis em qualquer lugar, em qualquer altura e a partir de qualquer dispositivo. Contudo, é essencial que existam cuidados com a segurança dos dispositivos utilizados na empresa. Ter um bom antivírus, não abrir e-mails suspeitos nem visitar sites pouco credíveis são regras que se devem cumprir sempre.

Autenticidade

A autenticidade é um dos pilares fundamentais da segurança dos dados. Devemos conhecer a origem dos dados com os quais lidamos, pois só assim conseguimos garantir que eles são fidedignos e atuais.

Vivemos num mundo altamente digital e por isso as ameaças tê-se proliferado a uma velocidade muito rápida. Hoje em dia, as empresas precisam efetivamente de utilizar soluções de segurança de dados, sob pena de verem as suas informações confidenciais expostas. Uma falha de segurança pode ser dramática para um negócio, podendo mesmo ditar o fim do mesmo. As ameaças à segurança dos dados são cada vez maiores e mais sofisticadas, tornando mais difícil garantir a segurança dos dados no negócio. Proteger a informação que a sua empresa gera diariamente é essencial para o sucesso do negócio e nesta fase em que o novo regulamento geral de proteção dos dados já entrou em vigor, é ainda mais importante trabalhar no sentido de conseguir proteger os dados da empresa e dos seus stakeholders.

 

O que podemos esperar da tecnologia em 2019?

O que podemos esperar da tecnologia em 2019?

Posted Leave a commentPosted in Dicas de Gestão

O final do ano é sempre tempo de antecipar tendências e é essencial que as empresas estejam a par das novidades tecnológicas do ano que se aproxima. A Gartner já indicou as principais tendências de tecnologia que vamos encontrar em 2019. No artigo de hoje, debruçamo-nos sobre as principais tendências de tecnologia no novo ano!

Gémeos Digitais

Esta é uma solução que visa melhorar os processos de criação, de testes e de correção na fabricação de novos produtos. Na verdade, os gémeos digitais nada mais são do que uma cópia de processos que existem na realidade. Ou seja. ao mesmo tempo que um produto é desenvolvido no mundo físico, a sua criação também acontece no mundo virtual. Deste modo, é possível realizar testes e análises antes do produto sair para o mercado. As principais vantagens desta tecnologia são: redução do tempo de produção, redução de custos, maior capacidade de adaptação, melhor previsão de lucros e melhorias da previsão de riscos e redução de erros.

Augmented Analytics

Os dados são os ativos mais importantes das empresas e é preciso que os gestores tenham verdadeira consciência disso. Em 2019 prevê-se que a análise de dados ganhe uma ainda maior importância e que sejam utilizados programas e aplicações que permitam que os dados sejam analisados de uma forma mais rápida e mais automática. O objetivo não é substituir os humanos nesta tarefa, mas sim dotá-lo de todas as ferramentas e informações necessárias para uma tomada de decisão mais assertiva. Assim, será possível automatizar a criação de dados, descobrir tendências e trocar informações entre diversos departamentos. Os departamentos de rh, financeiro, vendas e marketing são aqueles que mais beneficiam com este tipo de análise.

Blockchain

O Blockchain está muito na moda devido ao uso crescente das criptomoedas, mas a sua utilização vai muito além disso. Esta tecnologia torna o registo das transações muito mais seguro. Esta tecnologia inovou na forma de registar informações, o que proporciona uma nova forma de trabalhar com dados no mundo web. Contudo, o Blockchain não é apenas utilizado no mundo das criptomoedas. Também na área da saúde esta tecnologia pode ser utilizada, visto que permite que haja um registo de toda a movimentação de dados, o que aumenta a segurança dos mesmos. 2019 será o ano da solidificação desta tecnologia.

Chatbots

Os chatbots são as estrelas da inteligência artificial. Estão ligados à base de dados da empresa e utilizam linguagem comum para falar com os clientes. São capazes de reconhecer nomes e números de telefone para prever o comportamento dos clientes. São sistemas muito inteligentes na medida em que armazenam a informação essencial para poderem encaminhar os clientes para as áreas que eles precisam de consultar. A Ryanair, por exemplo, utiliza já este sistema para falar com os clientes. Cada vez mais empresas recorrem a esta funcionalidade e prevê-se que em 2019 haja um grande aumento da sua utilização.

Dashboards interativos

O grande volume e complexidade dos dados requerem novas formas de analisar a informação. Os dashboards interativos vão ser uma grande tendência no próximo ano. Softwares como o Multipeers permitem a criação de um dashboard interativo com informação oriunda de diversas fontes de dados, o que torna a análise mais rápida e, consequentemente, a tomada de decisões é mais célere e eficiente.