Saiba como lidar com as mudanças do comportamento do consumidor nos últimos anos

Saiba como lidar com as mudanças do comportamento do consumidor nos últimos anos

Posted Leave a commentPosted in Dicas de Gestão

Comportamento do consumidor: principais mudanças e truques para lidar com ela

O consumidor mudou muito nos últimos tempos e a tecnologia é a principal “culpada” dessa mudança. O acesso diário e praticamente constante à Internet transformou a forma como compramos e como nos relacionamos com as marcas. Cada vez mais o consumidor atual procura resolver os seus problemas com rapidez e eficácia, o que obriga as empresas a estarem sempre a par das novas necessidades do mercado, de modo a atuarem proativamente. Atualmente todos somos mais exigentes, mais informados e menos pacientes. Neste artigo vamos dar-lhe algumas dicas para lidar com as mudanças do comportamento do consumidor nos últimos anos!

Comunicação multicanal

O consumidor atual já não se contenta com uma única forma de comunicar com a empresa. Dada a multiplicidade de plataformas de conversação, os clientes esperam ter à sua disposição várias alternativas para contactar a empresa. Como procuram uma resposta imediata, hoje em dia preferem chatbots, Whatsapp ou qualquer outra plataforma de conversação instantânea. Esta é uma das principais mudanças no comportamento do consumidor.

Crie empatia

O consumidor atual gosta de ser ouvido e precisa de sentir que as suas dúvidas e reclamações foram ouvidas. Ouça atentamente tudo o que ele tem para lhe dizer e depois repita o que ele disse, de forma a passar a mensagem clara de que entendeu bem o seu problema. Faça perguntas claras e objetivas sobre o que ele sente e mostre-lhe que está empenhado em encontrar soluções. O consumidor atual quer ser tratado como único e não como mais um membro de um grande grupo.

Ofereça conteúdo interessante

Atualmente, recebemos dezenas de e-mails por dia com as mais variadas ofertas. A maior parte da informação que recebemos não é verdadeira útil e o seu destino é ir parar à pasta do Lixo. Assim sendo, muitas empresas gastam muito tempo a produzir campanhas que não terão qualquer retorno pois não se preocupam com o que o seu target realmente precisa e só se focam na divulgação dos seus produtos e serviços. A tendência é criar conteúdo valioso e realmente importante para o consumidor. Artigos sobre a sua área de especialidade, um funil de notícias ou um e-book são boas formas de criar um vínculo mais forte com os seus consumidores-alvo. Tenha em atenção que falar só de si e da sua marca vai passar uma imagem demasiado egocêntrica e os novos consumidores não toleram esse tipo de marcas.

Defina políticas claramente

É essencial saber como se deve proceder caso exista uma reclamação. Se tem uma loja de roupa, deve publicar de forma clara como funciona a política de trocas. Se tem uma empresa que presta serviços de telecomunicações, deve ser claro na hora de explicar como se contacta a assistência técnica.  Informar o cliente de tudo é o primeiro passo para evitar problemas no futuro. Numa era em que as pessoas partilham experiências online (sobretudo as más experiências), é de evitar toda e qualquer situação que potencie desentendimento com o cliente.

Nunca faça o cliente esperar

Esta é a nossa última dica e uma das mais importantes nesta mudança do comportamento do consumidor. O consumidor atual não admite esperar. Ele quer uma resposta instantânea para o seu problema e só com um conhecimento total do mercado e das necessidades atuais é que as empresas conseguem dar uma resposta efetiva às situações. Analisar o negócio em tempo real ajuda-o a conhecer totalmente o estado atual de uma empresa. É por isso que softwares como o Multipeers ganham uma importância crescente.

Os maiores erros na definição de indicadores de negócio

Os maiores erros na definição de indicadores de negócio

Posted Leave a commentPosted in Definição de métricas de negócio

Evite os maiores erros na definição de indicadores de negócio

Definir indicadores de negócio de modo consciente é fundamental para se conseguir analisar o negócio objetivamente. É essencial que os indicadores analisados mostrem aos gestores o caminho a seguir, de modo a corrigirem-se erros e aplicarem-se novas estratégias. Existe ainda muita dificuldade em definir indicadores de negócio e neste artigo apresentamos os maiores erros que acontecem quando chega a hora de decidir que indicadores vamos analisar.

Soluções de monitorização erradas

A equipa que tem a responsabilidade de escolher os softwares de gestão muitas vezes não tem conhecimentos sobre as verdadeiras necessidades dos utilizadores destas ferramentas. Assim sendo, quem deve optar por escolher o software mais apropriado são os próprios gestores pois são eles que conhecem com pormenor os problemas que enfrentam diariamente. Cada vez mais os softwares de monitorização são simples e intuitivos, permitindo que qualquer pessoa, mesmo sem conhecimentos técnicos, entenda o seu modo de funcionamento.

Utilizar o Excel como plataforma de gestão de indicadores

O Excel é provavelmente a ferramenta mais utilizada em todo o Mundo nas empresas e é apreciado por apresentar uma interface simples de executar algumas funções muito usadas, como cálculos e planilhas. Contudo, o Excel apresenta pontos fracos que residem na qualidade e coerência da informação gerada. Os processos manuais do Excel são muito passíveis de falhas. Assim, é necessário reduzir o trabalho manual realizado no Excel. O Excel deve ser encarado como um visualizador de dados e não como um gerador de informação.

Olhar para o banco de dados como a solução para todos os problemas

Os bancos de dados são uma peça-chave de muitos sistemas analíticos, mas não deve ser encarado como a solução para todos os problemas de informação. Os bancos de dados não devem ser implantados antes de se analisar com pormenor as reais necessidades da organização. Para evitar este erro é preciso identificar o melhor método de integração e conhecer bem o acesso às informações.

Adquirir produtos de gestão para análises gerais

Quando o negócio não tem objetivos específicos bem definidos qualquer ferramenta serve pois só se consegue analisar o negócio de um modo muito superficial. Os softwares de monitorização do negócio devem ser aplicados quando a organização tem consciência das suas reais necessidades e quando sabe quais os indicadores que devem ser analisados para melhorar o seu desempenho.